"Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor?" (Lucas, 43)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
26/10/2018
Meditação da Paixão do Senhor Jesus - "Passio Domini"
“A Minha Alma está triste até a morte”
 

P A S S I O       D O M I N I

“Meditação da Paixão do Senhor Jesus”

A HORA SANTA NO HORTO DAS OLIVEIRAS

“A Minha Alma está triste até a morte”

Passio Domini

“Faz-Me companhia nas noites de quinta-feira”

--------------------

“...também olharei para vós com tristeza e perguntarei ao vosso coração: “Não pudestes vigiar Comigo ao menos uma hora?”  Só não sentireis esta Minha pergunta, se o vosso coração estiver longe de Mim.

--------------------

A Hora Santa no Horto das Oliveiras

 

“Não vos admireis que vos peça companhia no Horto e, como tal, vos faça recuar no tempo. Meus filhos, Eu sou o Senhor do tempo. Para Mim não há tempo! O tempo só existe para vós.”

 

“Convido-vos, como convidei os meus discípulos. Vede se correspondeis melhor do que eles corresponderam! Eles poderiam ter compartilhado muito Comigo, nessas horas em que adormeceram. Foi por terem adormecido, que pouco puderam dizer a respeito das horas que passei no Horto. Essa companhia será agora vossa. Essa partilha ficou reservada para vós.”

 

Meus filhos, este Meu convite é uma honra para vós, como a honra que tiveram os Meus Discípulos, com os quais vós tanto gostaríeis de ter andado.”

---------------------

 

FAZ-ME COMPANHIA NAS NOITES DE QUINTA-FEIRA

Súplicas de Jesus para a oração pelos sacerdotes

 

 T  - VINDE ESPÍRITO SANTO, enchei os corações de Vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso Amor. Enviai Senhor, o Vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra. Ó Deus que instruístes os corações dos Vossos fiéis, com a Luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos da Sua consolação. Por Cristo Senhor Nosso. Amém

 

 T  - ATO DE CONTRIÇÃO: Ó meu Jesus Crucificado por minha culpa, estou muito arrependido de ter feito pecado, pois ofendi a Vós que sois tão bom e mereci ser castigado neste mundo e no outro, mas perdoai-me Senhor, não quero mais pecar. Amém!

  

D - Nós Vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo, aqui e em todas Vossas Igrejas que existem no mundo inteiro e Vos bendizemos!

T – Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

 

D - Graças e louvores se deem a todo momento! (3x)                                            

T - A JESUS, MEU DEUS, O SANTÍSSIMO SACRAMENTO!

D - Glória ao Pai ...                 

T – Como era no princípio...

 

T - SANCTUS, SANCTUS, SANCTUS,  Dominus Deus Sabaoth. Pleni sunt caeli et terra gloria tua, Hosanna in excelsis. Benedictus qui venit in nomine Domini, Hosanna in excelsis. (3x)

 

D - As horas da Paixão do Senhor são horas especiais, em que Jesus abre o Seu Coração para conceder ao mundo abundantes graças  de conversão, luz e fortaleza. Nós também somos convidados a entrar no Horto das Oliveiras, para vigiar e orar, em união com o Senhor

Este convite, “Faz-Me companhia na noite de quinta-feira”, significa: Adorar o Senhor ofendido, ter compaixão do Senhor que sofre, reparar  os nossos pecados e os do mundo inteiro, oferecer preces pelo Santo Padre, pelos Bispos, pelos Sacerdotes e por toda a humanidade, juntar forças para suportar os nossos próprios sofrimentos, e alcançar graças, para aqueles que estão longe de Deus.

 

T - Tomemos, portanto, a sério o convite do Senhor: “Vigiai e orai”, e o de Sua Mãe, que, na aparição em Fátima, disse: “Rezai, rezai muito e fazei sacrifício pelos pecadores, porque não há quem se sacrifique e peça por eles”. Que muitas pessoas sejam tocadas pelo sofrimento do Senhor, despertem e se deixem inflamar pelo Amor de Jesus que tanto nos ama e é tão pouco amado. 

 

O ÂNGELUS DA PAIXÃO

D – O Anjo do Senhor  levou ao Monte das Oliveiras  o Cálice do Fortalecimento.

T – E o Senhor recebeu do Coração do Pai a força do Sacrifício para a Redenção! 

D - Ave Maria...

 T Santa Maria...

D – O Senhor disse do alto da Cruz: “Tudo está consumado

T – E pela Sua morte trouxe-nos a Salvação!

D - Ave Maria...

TSanta Maria...

D – A vitória da Redenção do Senhor brilha sobre o tempo e a eternidade!

T – O Vosso Amor, Senhor Jesus Cristo, abriu-nos o Céu!

 D  - Ave Maria...

 T Santa Maria...

D – Lembrai-Vos de nós, Senhor, no Vosso Reino!

T – E não nos meçais por nossos pecados, mas segundo a Vossa Misericórdia!

D - Rogai por nós Santa Mãe de Deus!

T – Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

 

Oremos

L1 - Senhor Deus, Pai Celestial, que nos destes Vosso Filho Unigênito para nos redimir pela Sua morte na Cruz, tornai eficaz em nós os frutos da redenção. Mandai os Vossos Santos Anjos a nos ajudarem, a fim de que, por meio deles, reconheçamos melhor este grandioso ato da redenção, sigamos sempre mais conscientes a Palavra e a Vontade de Deus e que um dia possamos agradecer-Vos com todos os Santos Anjos, por toda a eternidade.

T – Amém!

 

L2 – Meu Deus e Pai do Céu, naquela noite, no Jardim da Oliveira, Vosso Filho disse a Pedro: “Crês tu que não posso apelar para Meu Pai que prontamente enviaria mais do que doze legiões de Anjos para Minha defesa?

Pai, pedimos-Vos agora: enviai essas doze legiões de anjos com “Cálices do Fortalecimento”  ao “Getsêmine”  da Santa Igreja, para defender e assistir nossos sacerdotes, a fim de que, fortalecidos pelo poder e presença desses anjos, possam realizar firmemente a sua missão sacerdotal.

T – Amém!

 

D - JESUS, AGORA NO HORTO, SUPLICA A CADA UM DE NÓS!

 

L3 – “Vem Comigo e situa-te no lugar onde Estou, no Horto das Oliveiras. Observa o lugar e contempla-Me. Há no ar uma sensação de tristeza. Ajoelha-te e adora com os anjos Este que aqui está, para começar a Sua vigília de dor e que está a sofrer pelos vossos pecados. Agradece a graça que te faço em te chamar aqui, em permitir que Me faças companhia nesta hora, em aceitar a reparação que Me vais oferecer.”

 

L4 – “Vem Comigo para o Seio de Maria, Minha Mãe. Não há lugar mais próprio à oração e ao recolhimento. O Seio de Maria é silencioso e canta louvores. Aqui, encontrar-Me-ás sempre, seja qual for a dificuldade em que te encontres. No Coração de Maria encontrarás sempre o Meu Coração. No Coração de Maria, esse interior que tanto Me encanta, aprenderás a oração que Me é feita de coração, que não é barulhenta ou teatral.”

 

L1 - “Agradece por ti e pelos teus irmãos que vão se beneficiar desta oração. Agradece o que Eu vou fazer em ti e no teu próximo, através de ti. Agradece o Amor, a Salvação, a Minha presença no meio de vós e o Meu Sacrifício de dor e de morte.”

 

L2 - “Mergulha-te agora Comigo em oração silenciosa. Se tens dificuldades, procura suporte naquilo que está sendo dito, em que te mostro o Meu sofrimento no Horto. Repete as Minhas palavras. Mergulha o sofrimento que tiveres, no Meu próprio sofrimento, na Minha solidão. Vê o aproximar dos pecados, de todos os pecados do mundo em todos os tempos, vê os teus próprios pecados. Vê como assumo cada um, mesmo os mais repugnantes, e assim, fico coberto de toda a lama e maldade do mundo, diante do Pai. Vê o suor de Sangue inundar o Meu rosto e todo o Meu corpo. Em silêncio, adora-Me nesta situação, e arrepende-te!”

 

D – Meu Jesus, Perdão e Misericórdia!

T – Pelos méritos das Vossa Santas Chagas!   

 

L3 - “Pede perdão para o mundo, e podes ir dizendo os pecados pelos quais pedes perdão(...)  Vê-Me buscar companhia nos Meus discípulos, e não a encontrar! Mergulha aqui os teus desencantos, desilusões e abandonos. Faz propósitos de mais amor por Mim, de mais companhia... e de mais amor aos irmãos.”

 

D – Meu Jesus, Perdão e Misericórdia!

T – Pelos méritos das Vossa Santas Chagas!   

                 

L4 - “Volta a rezar Comigo, com muito amor! Aceita Comigo a dor que te aflige. Aceita as tuas dificuldades, a tua miséria. Põe aos Meus pés aquilo que és, aquilo que tens, aquilo que fazes e que suportas. Coloca aqui os teus próprios pecados, para que te limpe deles. Entrega-Me todo o teu ser, o teu tempo, a tua saúde, o teu trabalho, as tuas disponibilidades econômicas, a tua família, a tua própria vida.” 

                                                            

D – Meu Jesus, Perdão e Misericórdia!

T – Pelos méritos das Vossa Santas Chagas!   

 

L1 – “Aqui no Horto Comigo, entrega-te, como Eu à Vontade do Pai. Compartilha aqui o que Te faço entender. Reza por todos os que passam aqui em cortejo de pecado e dor. Vigiai e orai Comigo! Peço-te que Me acompanhes, das 9 horas até a meia-noite ou pelo menos por uma hora. Poderás ficar? Terás amor por Mim, o bastante para ficares uma hora? Se não podes ficar até essa hora, poderás parar mais cedo mas, ficarás pelo menos uma hora ao Meu lado?”

 

D – Meu Jesus, Perdão e Misericórdia!

T – Pelos méritos das Vossa Santas Chagas!   

 

Oremos

L2 – Ó Jesus, Sumo e Eterno Sacerdote, conservai os Vossos sacerdotes sob a proteção do Vosso Coração amabilíssimo, onde nada de mal lhes possa suceder. Conservai ilibadas as suas mãos ungidas, que tocam todos os dias em Vosso Corpo Santíssimo. Conservai puros os seus lábios, tintos pelo Vosso Sangue Preciosíssimo. Conservai puros e desapegados  dos bens da terra, os seus corações, que foram selados com o caráter sublime do Vosso Glorioso Sacerdócio. Fazei-os crescer no amor e fidelidade para Convosco e preservai-os do contágio do mundo. Dai-lhes também, juntamente com o poder que têm de transubstanciar o pão e o vinho em Vosso Corpo e Sangue, o poder de transformar os corações dos homens. Abençoai os seus trabalhos com copiosos frutos e concedei-lhes um dia, a coroa da Vida Eterna.

T - Amém!

 

D – Ó Maria, ao Vosso Coração, confiamos todos os nossos sacerdotes!

T – Guia-os, guardai-os, protegei-os e salvai-os!

 

D - JESUS, SOLITÁRIO, NOS PEDE MAIS COMPANHIA!

 

L3 - “Olha-Me nos Meus sacrários, sozinho, fechado, olhado sem amor, tratado sem respeito, ultrajado em comunhões sacrílegas... No horto, vi essas situações e sofri aflições, por causa daquilo que Me fariam. O que Me fazem agora, senti-o naquele momento. É por isso que é preciso, agora, a reparação dos filhos, que neste Horto, hoje Me fazem companhia. Agradece-Me, por ter ficado convosco. Pede perdão por aqueles que não Me adoram, não Me respeitam e que Me ultrajam. Reza por esses irmãos e adora-Me tu por eles.”  

 

D - Jesus, manso e humilde de Coração, 

T – Fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

 

L4 – “Continua Comigo. Fala-Me, no teu coração! Deixa-o expandir para Mim e por Mim. Se preferires, fica calado, contemplando-Me, ou simplesmente dizendo que Me amas. Mesmo que não soubésseis dizer mais nada, apenas isto já Me bastava.”

 

L1 - “Do Meu Sacrário, de todos os Sacrários onde estou, olho para vós. Vem para junto de Mim!  Olha para o que Eu tenho feito por este mundo ingrato e vê a maneira como Me correspondem! Como podeis viver tão sossegados? É verdade que a Minha Misericórdia está sempre operante, buscando novos meios de lançar a semente...  Mas, quem é que aproveita? Quem Lhe corresponde e deixa crescer, florir e frutificar?”

 

L2 – “Quem corresponde à Minha Misericórdia? A minha Misericórdia é um Manto que vos abriga e protege, mas quem se quer abrigar debaixo dela? Quantos a vão recusando todos os dias, dizendo sempre – ‘mais tarde eu faço...’ “não há perigo...’ Dize-Me quantos querem, verdadeiramente, aproveitar o Meu Sacrifício de Redenção?”

 

L3 – "Vinde olhar o mundo! O que vedes? Mundanidades,  esquecimento de Mim ou ignorância quase total, materialismo, paixões desenfreadas, vícios, frieza, ambições, inveja e ódio, vidas estragadas e quantos mergulhados em desespero! Queres tu agradar-Me? Vem fazer-Me companhia!”

 

L4 - “Vivi entre vós, sujeito aos mesmos cansaços, à necessidade de comer e de beber, de dormir e descansar, sujeito ao trabalho e às dificuldade de transpor distâncias. Sujeitei-Me a sofrer invejas e ódios de muitos, ingratidões e indelicadezas, falta de compreensão, a ser caluniado, insultado, maltratado até ser morto. A tudo Me sujeitei por amor de ti e de todos os teus irmãos, mesmo por aqueles que Me faziam sofrer, por aqueles que Me mataram, e por aqueles que, no decorrer dos séculos Me esqueceram, Me trocaram pelos seus prazeres e Me traíram.” 

 

L1 - “Aquilo que te parece que vês, pode não ser o que Eu vejo. Aquilo que te parece bom, pode não ser o que Eu quero, ou pode não ser o que Eu quero para ti. Põe as tuas certezas, apenas naquilo que te transmito, através das Sagradas Escrituras e através da Minha Verdadeira Igreja, que instituí como Minha única representante na Terra, como são Meus representantes aqueles que Nela estão em autoridade.  Aceita nada saber, como criança! Aceita ser criança Comigo, no Meu Presépio! Aceita, como Eu, ser dependente! Como Eu, precisar de uma Mãe! Como Eu, te submeteres à Mãe, que para ti está visível e operante - a Igreja que é Minha -, porque Eu a fundei e conservo, apesar de todos os defeitos que por vezes possam apresentar alguns dos seus membros.”

 

L2 - “Todos os que se sentem adultos e muito importantes, para penetrar no Meu presépio, têm muito que deixar para poderem entrar no Céu. Vem ao Meu presépio. Da gruta onde nasci, chamo-te e espero-te para te revelar segredos de Amor que só comunico aos simples de espírito, aos que Me amam por Mim próprio.  Aos que Me amam, tanto como criança como em adulto... Sou criança, nada quero poder sem tua ajuda. Sou igual às outras crianças recém-nascidas, mas Sou o Rei do Céu e da Terra. Aprende a não te guiar pelas aparências, pelo que vês, pelo que te parece, porque o que vês e o que te parece, pode estar muito longe da realidade.” 

 

L3 – “Cada dia estuda uma palavra Minha nos Evangelhos: estuda-a, ouvindo-a dos Meus lábios e toma a resolução de a praticar nesse dia. Nada há quem possa fugir ao Meu ensino. Tudo aquilo que desejares ou praticares contrário ao que Eu digo nos Evangelhos, é errado.”

 

D - Jesus, manso e humilde de Coração, 

T – Fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

 

L4 - “Meus filhos, vós não entendeis a necessidade que tendes, que o mundo tem, desta oração reparadora, na noite dolorosa de quinta-feira. Vós não entendeis, porque não entendeis o Meu coração, porque não vos fixais no Meu rosto, porque Minha dor é para vós pequena coisa. Apenas vedes as vossas dores, os vossos aborrecimentos, os vossos trabalhos. Estais fixos em vós mesmos e apenas sabeis pedir, pedir e pedir.” 

 

D – Meu Jesus, perdão e misericórdia,

T – Pelos méritos das Vossas Santas Chagas!

 

Oremos

L1 – Onipotente e Eterno Deus, digna-Te a olhar a Face de Teu Cristo, o Eterno e Sumo Sacerdote, e por amor d’Ele tem piedade dos Teus sacerdotes. Lembra-Te ó Deus Misericordioso, que são apenas débeis criaturas. Mantém vivo neles o Fogo do Teu Amor. Guarda-os junto a Ti, a fim de que o inimigo não prevaleça contra eles, e para que jamais se tornem indignos de sua sublime vocação.”

T - Amém

 

DAgora Jesus nos pede um pouco mais do nosso tempo

 

L2 – Dirijo-Me agora a vós. Sou Eu agora a pedir, a pedir o vosso tempo, a vossa disponibilidade, a vossa oração, tudo aquilo que tendes e que guardais tão ciosamente. O que é que guardais nos vossos corações, Meus filhos? Guardais o vosso tempo… e é esse tempo que Eu vos peço.” 

 

L3 - “Peço-vos que venhais Comigo, sem contar o tempo, que Me deis esse tempo, que disponhais dele para estar Comigo, para Me acompanhardes nestas horas dolorosas. Todo o tempo é Meu, sou Eu que vo-lo       dou, enquanto vos mantenho vivos. Esse tempo que vos dou, tendes a obrigação delicada de Me devolveres, nas horas que sabeis Me serem gratas. O vosso tempo vos peço neste dia. Estas horas que reservais para vosso lazer e diversão, quereis dá-las, ficando junto a Mim, para Meu contentamento?” 

 

L4 - “Aqui no Horto a Minha Misericórdia corre em rio caudaloso e cobre todos os filhos que querem se aproximar. Aqui a santidade é para vós e o pecado é para Mim, porque Eu assumo o vosso pecado.  Não é fácil para Mim, assumir os teus pecados e os do mundo todo, em todas as épocas. Por isso te peço companhia. Por isso peço companhia a todos vós, nestas horas dolorosas. Não penseis vir aqui para gozar consolações, porque o Horto não é lugar de consolação. Não o foi para Mim e não o será para vós. O Horto é um lugar de solidão, de Amor e de sofrimento. Ainda que o sangue rebentasse pelos capilares do teu corpo, como aconteceu Comigo, não deverias ficar receoso de vir.”

 

D - Meu Jesus, perdão e misericórdia,

T - Pelos méritos de Vossas Santas Chagas!

 

L1 - “As noites dessa quinta-feira, sexta-feira e sábado são as noites da prática dos maiores pecados, mas a de quinta-feira é a que recorda a minha noite de Amor e, por isso, é a noite escolhida pelo Meu inimigo, para mais Me ultrajar. Que sabeis disso? Nada! Vós nada sabeis, porque, para saberdes alguma coisa, era preciso terdes tomado parte nessas cerimônias de sacrilégio.  Não sabeis e não queirais saber, senão que nas noites de quinta-feira o mal está mais ativo e procura ultrajar-Me diretamente, ainda mais que nos outros dias e nas outras noites.”

 

L2 - “Na quinta-feira, enquanto dormes, sou cruelmente ofendido em cerimônias feitas expressamente com esse fim e com o fim de procurar elevar o próprio mal e cultuá-lo. É por isso que vos peço que, nesta noite, entreis Comigo no Horto e Me façais companhia, que procureis com o vosso amor reparar os ultrajes efetuados em lugares que talvez sejam perto do lugar onde estais, onde viveis e morais. Não vos admireis que vos peça companhia no Horto e, como tal, vos faça recuar no tempo, Meus filhos, Eu sou o Senhor do tempo. Para Mim não há tempo. O tempo só existe para vós. É verdade que ressuscitei e estou no Céu, mas isso não quer dizer que podereis viver em contínua alegria, enquanto o pecado se expande, enquanto as forças do mal estão ativas, muito mais ativas do que aqueles que dizem amar-Me.”

 

L3 - “Se ressuscitei é porque morri. E morri no meio de dores que não podeis sequer imaginar. Eu não teria ressuscitado, se não tivesse morrido, e então não teríeis agora, uma Ressurreição para vos alegrar. Passei pela morte, mas antes passei pelo Horto, onde vi tudo, o que iria sofrer e a forma, como através dos séculos, seria correspondido. Por isso é no Horto que espero a vossa companhia e a vossa reparação. O Horto é um lugar onde Eu não disse muitas coisas, porque não tinha companhia a quem dizer, porque o sofrimento Me fazia repetir sempre as mesmas palavras, e porque aqui é um lugar de oração intensa, e quanto mais intensa, mais silenciosa.”

 

L4 - “Não vos iludais, meus filhos, com orações muito bonitas, e não penseis que não sabeis rezar, porque não sois capazes de ter belas palavras para os vossos irmãos ouvirem. Reparai! A oração é para Mim, e não para os vossos irmãos, e Eu preciso ouvir os vossos corações. Embora vos seja útil a oração em voz alta, para unir mais os irmãos entre si e para levantar o ânimo e orientar a oração de alguns, tudo isso tem seu tempo próprio. Quando vos chamo ao Horto, quero apenas o vosso coração.”

 

L1 - “Os vossos frutos serão mais copiosos, do que seriam se vos ocupásseis em trabalhos importantes para a Igreja, ou em penitências a vosso gosto. Se, em alguma destas noites, estiverdes muito cansados, tão cansados que não vos apeteça vir ter Comigo ao Horto, vede, meus filhos, Eu não vos forço, apenas vos digo que, se quereis ir descansar com os Meus discípulos, que adormeceram porque estavam cansados e tinham muito sono, também olharei para vós com tristeza e perguntarei ao vosso coração: “Não pudestes vigiar Comigo ao menos uma hora?”  Só não sentireis esta Minha pergunta, se o vosso coração estiver longe de Mim.”

 

D - Jesus, manso e humilde de Coração,

T – Fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

 

L2 - “Prestai atenção ao que então disse sobre a oração. Sim, é para vós muito importante vigiar e orar, não só quando vos sentis com disposição, mas principalmente quando estais sem disposição, porque então estais em maior perigo de sucumbir às tentações, como aconteceu com os Meus discípulos.  Embora o descanso vos seja necessário, não é ele exatamente que vos faz fortes.  O que vos faz fortes é a oração, é a proximidade que possais ter Comigo. Se não vos entregardes ao vosso cansaço, mas vos entregardes a Mim, Eu serei o vosso repouso. Não tenhais receio, que Eu não vos deixarei cair em cansaço, não tenhais receio, que não morrereis por estar junto de Mim e se morrêsseis, ficaríeis Comigo.” 

 

L3 - “Não tenhais receio de, por estar Comigo, não ter força para o vosso trabalho, por terdes menos horas de sono, porque Eu não sou ingrato para os que me amam e se sacrificam por Mim. Não tenhais também receio de atrasar aquele trabalho que queríeis fazer neste “serão de hora extra”, porque o trabalho que fazeis no Horto, junto de Mim, é mais importante que qualquer outro trabalho. Os vossos trabalhos, podereis fazê-los noutras horas, com a bênção que levais daqui e que vos fará mais diligentes no fazer. Meus filhos, este Meu convite é uma honra para vós, como a honra que tiveram os Meus Discípulos, com os quais vós tanto gostaríeis de ter andado.” 

 

L4 - “Convido-vos, como convidei os meus discípulos. Vede se correspondeis melhor do que eles corresponderam! Eles poderiam ter compartilhado muito Comigo, nessas horas em que adormeceram. Foi por terem adormecido, que pouco puderam dizer a respeito das horas que passei no Horto. Essa companhia será agora vossa. Essa partilha ficou reservada para vós.” 

 

D - Meu Jesus, perdão e misericórdia!

T – Pelos méritos de Vossas Santas Chagas!

 

Oremos

T - Eis-me aqui, bom e dulcíssimo Jesus, de joelhos prostrado em Vossa presença eu Vos suplico com todo o fervor de minha alma, que Vos digneis gravar no meu coração os mais vivos sentimentos de fé, esperança e caridade, verdadeiro arrependimento de meus pecados e firme propósito de emenda, enquanto vou considerando com vivo afeto e dor, as Vossas cinco Chagas, tendo diante dos olhos aquilo que o profeta Davi já Vos fazia dizer, ó bom Jesus: “Transpassaram Minhas mãos e Meus pés e contaram todos os Meus ossos”.  Amém!

 

L1 - “Ficai aqui no Horto, junto de Mim, aqui onde os Meus Discípulos, que eram os novos Sacerdotes, falharam. Por isso, esta noite, deveis reservá-la para rezar pelos Sacerdotes, de modo especial. Não penseis, meus filhos, que a unção sacerdotal os dotou de forças maiores que as vossas, para resistir às tentações. Continuam a ser pessoas, fracas como todos vós, com o agravante de -  pelo alto cargo que Eu lhes confiei -  se levantarem contra eles as hostes inimigas com redobrada fúria. Não tenhais dúvidas, de que eles são mais tentados que vós em todos os aspectos.”  

 

D – Meu Jesus Perdão e Misericórdia,

T – Pelos méritos das Vossas Santas Chagas!

 

Oremos

L2 - Meu adorável Jesus, poderá haver criatura tão ingrata e de coração tão endurecido, que se recuse a passar uma hora em Vossa companhia, recordando aqueles mistérios de imensa dor e incomparável Amor, que se cumpriram nas trevas da noite de Vossa Paixão no Jardim das Oliveiras? Meu Bom Jesus, eis-me aqui  Convosco! Dignai-Vos fazer-me compreender a crueldade dos Vossos sofrimentos, e o excesso de Amor que Vos levou a Vos imolardes como vítima dos meus pecados e de todos os homens.

T - Amém!

 

D – Ó Maria, ao Vosso Coração, confiamos todos os nossos sacerdotes!

T – Guiai-os, guardai-os, protegei-os e salvai-os!

 

DJESUS NOS LEMBRA DA SUA PAIXÃO E NOS PEDE MAIS ORAÇÃO!

 

L3 - “Recapitula o que sabes da Minha Paixão e convence-te de que não sabes tudo. Vê o difícil caminho que vou percorrer dentro em breve -  de noite, sobre pedras nuas e de mãos amarradas, -  tendo de caminhar conforme os puxões que me darão, os tropeções, as quedas, o Corpo magoado, a humilhação de levantar: difícil, sem o apoio das mãos... Entristece-Me ver o que me espera no caminho, desde o Horto à casa de Anás.... Contempla-o Comigo...”

 

L4 -  “Vê agora, comigo, o Meu julgamento, as testemunhas falsas... as bofetadas... os socos... os escarros...  Vê a noite passada entre soldados que se divertiam com a dor dos condenados e que se sentiam com todos os direitos de os fazer sofrer. Imagina por um instante, o que Me fazem, na sua grosseria e na educação própria de pagãos desse tempo...  Vê as humilhações do dia seguinte, pelas ruas onde tinha passado dias antes, semeando milagres, bênçãos, ensino....”  

 

L1 - “A traição de Judas fez-Me mergulhar em tristeza, e foi o anúncio, o começo de todas as traições daqueles que se dizem Meus amigos, mas não o são, porque vendem a Minha amizade àqueles que lhes dão em troca algum prazer, alguma honra, alguma vaidade, algum dinheiro ou quando os livram de algum trabalho ou de algum incômodo indesejado. É a traição do amigo e dos amigos futuros, qual Me faz dizer: ‘A Minha Alma está triste até a morte!’ Por que Eu sentia, na Minha Alma, a tristeza da morte eterna em que tantos se lançariam por sua própria opção.”   

 

L2 – “Todos os filhos, fazem peso nesta tristeza, todos os filhos que Me traem, que Me rejeitam, que Me trocaram por coisas, por pessoas, por honras...  mas o peso maior é aquele que vem, quando tais abandonos e traições vêm da parte dos Meus sacerdotes. Por isso, reza por eles ainda mais, nesta noite que tanto sofri.” 

 

L3 - “É a perda dos filhos que Me entristece e dá lugar à visão do sofrimento que Me Espera, Me abate e Me faz dizer: ‘Pai, se é possível, afasta de Mim este cálice’. Eu tinha desejado o cálice! Oh, se tinha desejado! Desejava a hora do Batismo de Sangue, a hora em que mostraria o Meu Amor, pelo cumprimento da Vontade do Pai, pela redenção e salvação dos filhos, a hora de reparar o Amor infinito de Deus, ultrajado de tantas maneiras.”

 

L4 - “Era assim que Eu desejava a hora, porque essa hora de dor e de morte, seria a hora do Meu triunfo, porque seria a hora do triunfo do Amor. Ao entrar no Horto, Eu disse: ‘A Minha Alma está triste até a morte’, porque, agora, que a hora se aproximava, o desejo do guerreiro forte de entrar na luta, era ensombrado pelo desgosto da traição e pela perda do amigo e pelo vislumbrar da perda de tantos outros.” 

 

L1 - “Vê que, se te deixas dominar e não rezas... se abandonas, vais enfraquecer e dar campo livre às tentações e podem até aumentar as tuas dificuldades em Me permanecer fiel, perante as tentações e a confusão das ideias no teu mundo. Vê, Eu podia ter fugido, porque Betânia não era longe. Podia ir até lá, arranjar provisões e fugir para os montes. Não o fiz. Não o faças tu também, mas quando o sofrimento, o cansaço e a secura aumentarem, faz como Eu, aumenta a oração, pois, nos momentos dolorosos, só a oração te pode valer, como a Mim só ela Me valeu.” 

 

L2 - “Se não rezares, meu filho, fugirás, fugirás daqui, fugirás de Mim, fugirás do Meu caminho, da Minha Luz, da Minha Graça, do Meu Amor. Só a oração te segura junto de Mim. Procura nela a força e a luz. Para ti, como para Mim, descerá o conforto, que te dará firmeza de continuar Comigo.”

 

D - Meu Jesus, perdão e misericórdia,

T – Pelos méritos de Vossas Santas Chagas! 

 

Oremos

L3 -  Ó Jesus Amantíssimo! Ó Jesus Solitário! Fazei meu coração qual lâmpada acesa; em caridade se inflame e arda sempre em Teu Amor. Velai, ó Sentinela Divino! Velai pelo mísero mundo, pelos sacerdotes, pelas almas consagradas, pelos pobres enfermos, cujas noites intermináveis necessitam de Tua fortaleza e Teu consolo, pelos moribundos e por este teu humilde servo que, para melhor servir-Te, descansa, mas sem deixar de pensar em Ti, em Teu Sacrário, onde vives na solidão e no silêncio da noite.

T – Amém!

 

D – Ó Jesus, manso e humilde de Coração, 

T – Fazei o coração dos sacerdotes semelhantes ao vosso Sagrado Coração!

 

DAGORA JESUS NOS LEMBRA O HORROR DOS NOSSOS PECADOS

 

L4 – “O pecado é a coisa pior, mais feia, mais repugnante, que se pode pôr diante de Mim. E pecados, e mais pecados é o que vejo diante dos Meus olhos. Não há lugar algum na terra, para onde Me possa virar, que não encontre coberto de pecados, do presente, do passado e do futuro. Como um mar de lama podre, o pecado avança para Mim, fazendo-Me tremer e voltar a dizer as mesmas palavras: “Pai, tudo Te é possível; afasta de Mim este cálice!’ ”

 

L1 - “Olha-me! Que vês? Um rosto aflito, porque se aproximam os grandes pecados que tenho que assumir por ti e pelos teus irmãos, para que possais vos salvar. Vêm as grandes traições, traições entre as criaturas, traições para tomadas de poder, traições contra os povos, traições a promessas, traições a votos matrimoniais e a votos religiosos. Assumo-os com muita mágoa, sim, passam a ser Meus.  Vêm as mentiras e as calúnias sobre mim, que nunca menti.”

 

L2 - “Vêm sobre Mim os crimes de morte, morte de inocentes e morte de culpados, os crimes que provocam mortes aos milhões nas guerras fratricidas no teu mundo. Vêm todas as injustiças acumuladas ao longo dos séculos e dos milênios, todos os roubos de todas as maneiras possíveis, Vêm sobre Mim também todos os abandonos dos mais fracos, das crianças, dos idosos a morrer pelas ruas ou em asilos, onde em conjunto, esperam pela morte, sem alegria, sem convivência e sem amor, abandonos estes feitos por aqueles que mais os deviam amar.”

 

L3 - “Vêm, ainda, sobre Mim, os desesperos, com todas as suas formas de descarga e com o culminar do suicídio, que toma de Deus o direito de dispor da vida de cada ser que criou. Mas, vêm também sobre Mim o crime de morte maior que os outros que chegaram primeiro. Aparece agora o abominável crime do aborto. Também ele, como manto de lama, vem cobrir o inocente, que expia em nome de todos. Vêm agora os pecados das grandes orgias, os pecados da gula, da comida e da bebida, praticados em todas as sociedades, e aqueles que viciam as pessoas, os pecados dos alcoólicos e daqueles que se entregam a qualquer vício de droga, assim como os de todos os que por qualquer forma os aliciam e lhes tornam possível a prática desse vício.” 

 

L4 - “Chegam agora os pecados que Me dão um nojo ainda maior que aquele que já sinto, depois de aceitar tanta lama sobre Mim. São os pecados da carne, com todas as suas formas e aberrações possíveis, desde os pensamentos aos atos. Sinto-Me em agonia total. Parece não Me ser humanamente possível suportar mais. Mas ainda não é tudo, pois vejo chegarem os pecados do orgulho das pessoas e dos povos. É este o pecado que leva a outras espécies de pecados, que conduz ao querer do melhor, a ganância, a avareza, a injustiça que faz sofrer o irmão, em faltas de caridade sem conta.” 

 

L1 - “Toda a falta de caridade que existe no mundo, tem a raiz neste orgulho, cujo peso universal Me faz vergar de horror. É o pecado que impede o perdão e lança os meus filhos em lutas grandes e pequenas. É o pecado que Me horroriza, pois é totalmente contra Deus, que na sua eterna glória ocupa o lugar mais alto e por isso, não pode desejar subir, mas descer para todos os filhos. Curvado até o chão, não conseguirei suportar mais nada, sem que essa aflição faça arrebentar de Meu Corpo, o Sangue Redentor.”

 

L2 – É com profundo horror que vejo chegarem agora as blasfêmias, os desvios de doutrinas, as heresias dentro da Minha Igreja, todas as práticas de seitas de ocultismo, de bruxaria, de satanismo. Vêm os sacrilégios em todas as formas, as faltas de amor a Deus. Sim, agora foi a aflição que Me atingiu, tão forte e profundamente  que fez os capilares do Meus Corpo derramarem Sangue em gotas semelhantes ao suor. Este suor de Sangue em pequenas gotas que se juntavam e corriam em gotas maiores, cobria toda a pele do Meu Corpo.”

 

D – Meu Jesus, perdão e Misericórdia,

T – Pelos méritos de Vossas Santas Chagas!

 

Oremos

L3 - Ó Divino Jesus!, que durante a noite estás solitário em tantos Tabernáculos do mundo, sem que nenhuma de Vossas criaturas vá visitar-Te e adorar-Te.  Eu Te ofereço meu pobre coração, desejando que todas as minhas pulsações sejam de amor e adoração. Tu, Senhor, estás sempre sob as Espécies Sacramentais, Teu Amor Misericordioso nunca dorme, nem se cansa de velar pelos pecadores.

T - Amém!

 

D – Jesus, manso e humilde de Coração! 

T – Fazei o coração dos Vossos sacerdotes, semelhante ao Vosso Sagrado Coração!

 

D – JESUS SUPLICA PARA VIGIAR COM ELE, NO SACRÁRIO!

 

L4 - “Escutai Meus filhos, Eu deixei os Meus discípulos com instruções para rezarem e tinha-Me afastado até a distância de um tiro de pedra, mas nada os impedia de irem avançando para junto de Mim. Se eles tivessem rezado, o Amor tê-los-ia feito aproximarem-se, e Eu não os mandaria embora. Teriam visto como Eu sofri. Teriam aprendido Comigo a sofrer. Teriam recebido forças para o combate que se aproximava. Teriam podido acompanhar-Me e consolar-Me na Minha dor.” 

 

L1 - “Assim, permaneceram à distância, não rezaram, adormeceram, e quando os procuro, não percebem nada, estão confusos, não sabem o que dizer. Não faças tu isso, em nenhuma quinta-feira. Permanece Comigo, no amor que te faz continuar aqui, apesar de todas as dificuldades que possas sentir.”

 

D - Meu Jesus, perdão e misericórdia,

T  – Pelos méritos de Vossas Santas Chagas!

 

L2 – “Fica Comigo em silêncio, olhando nos Meus olhos. Não procures distrair-te nem buscar inspiração fora de Mim. Fixa-te em Mim, só em Mim.  Não penses em mais nada, senão em procurar, em dulcificar com o teu amor, com todo o amor de que fores capaz, estes momentos dolorosos. Estes momentos de companhia silenciosa que Me fazes, em que afastas daqui os teus problemas pessoais, são muito valiosos para ti.”

 

L3 – “Aqui poderás alcançar graças que desejas, mesmo sem Me falares nelas, se estiver na Minha Vontade conceder-te, de acordo com o plano da santificação que tenho para ti, e que nem sempre compreendes. Mas, principalmente, alcanças graças que nem sabes, e em que nem pensavas, que te concederei, pela tua fidelidade e tua gratidão do Meu Amor.” 

 

L4 - “Sabes que são muito poucos os que assim Me fazem companhia e procuram consolar-Me nestes momentos tão dolorosos. Sim, já no Horto vejo que são muito poucos os filhos que Me hão de acompanhar com fidelidade, ao longo dos séculos, e muitos, muitíssimos os que Me hão de abandonar, se hão de entreter com outras coisas, que hão de adormecer, que se hão de distrair com conversas, com trabalhos, com outras formas de passar o tempo, porque estar aqui Comigo é muito aborrecido. Sim, é aborrecido, é triste... é mais que isso, é doloroso!”

 

L1 - “Ainda hoje sofro com o vosso afastamento e desamor, que é pior ainda que o adormecimento dos Meus discípulos. A vossa falta de amor por Mim manifesta-se todos os dias, com os pecados em que caís e voltais a cair. Todos vós mostrais falta de amor, mesmo aqueles entre vós, que dizeis amar-Me.” 

 

L2 - “Nunca serão demasiados os sacrifícios que possais fazer, para compensar-Me e mostrar nesta noite que afinal Me ama mais. Atualmente os Meus sacrários são o Horto, onde semanalmente vos espero, depois de vos ter esperado diariamente, tantas vezes em vão! Vê como é triste os Meus filhos passarem diante das Minhas Igrejas, sem pensar sequer em entrar para Me saudar, sem o menor pensamento para Mim!”

 

L3 - “Os Meus Sacrários são agora o Meu Horto, onde estou só, onde Eu agonizo ao ver os pecados que se espalham pelo mundo, sem que os meus filhos notem, porque na maior parte dos pecados já ninguém repara, tanto eles se tornaram vulgares, que acabaram por se impor às vossas mentalidades sujas. Os Meus filhos já não vêem o que é mau, já não sabem o que é pecado, porque não se preocupam em procurar saber.”

 

L4 - “Preocupam-se com o seu trabalho, com a melhor forma de ganhar dinheiro, com as coisas que querem adquirir, com a opinião das pessoas, com os problemas familiares, mas não se preocupam com aquilo que está certo ou errado. E, assim, o mal se alastra em divertimentos e imoralidades sem conta, em que aqueles que deviam ser Meus, tomam parte sem remorso. O mal se alastra em injustiças, em buscas de melhores posições, de mais honras, de mais prazeres, muitas vezes por meios ilícitos.” 

 

L1 - “É esta a agonia atual, que vivo nos Meus Sacrários. A maior parte dos Meus Sacrários são lugares tristes, onde passo, horas e dias, sozinho, sem filhos que Me visitem. Vivo em Igrejas que se encontram fechadas durante a maior parte do dia, por causa da possibilidade de roubos. Mas essa possibilidade desapareceria, se os Meus filhos ficassem diante de Mim, no Sacrário e não Me deixassem sozinho.” 

 

D – Meu Jesus perdão e Misericórdia,

E – Pelos méritos das Vossas Santas Chagas!

 

Oremos

L1 -Ó Mãe Amada, acompanhai cada sacerdote como acompanhastes o Vosso próprio Filho. Pela Vossa presença, acompanhada do Exercito Celeste, afastai de cada sacerdote, toda influência maligna, fortalecendo-os na fé e na resistência ao mal, na esperança e na caridade, para que, com espírito de sacrifício e unidos a Jesus Crucificado, recebam sua recompensa eterna junto ao Pai que está nos Céus.

T - Amém!

 

D – Ó Maria, ao Vosso Coração, confiamos todos os nossos sacerdotes!

T – Guiai-os, guardai-os, protegei-os e salvai-os!

 

 D  – JESUS SE QUEIXA DA NOSSA INDIFERENÇA E DOS SACRILÉGIOS!

 

L2 - “Olho para os bancos das Igrejas e vejo-os vazios. E assim passo horas e horas, todos os dias. Depois vem a noite, e a multidão dos pecados continua a engrossar, agora nos divertimentos noturnos, tantas vezes pouco inocentes. Assim continua o vazio à Minha volta, vazio de pessoas, vazio nas vossas almas, vazio nos vossos corações que, esvaziados de amor, procuram consolar-se em buscas de prazer, cada vez mais sofisticado e pecaminoso.” 

 

L3 – “Quero agora dizer-te que, quando não podes vir ter Comigo, procura fazê-Lo com o teu pensamento; fica Comigo, tal como se estivesse junto ao Meu Sacrário, pois eu aceito sempre a vossa companhia espiritual, quando não podeis, realmente, vir para junto de Mim.” 

 

L4 - “A vossa companhia, mesmo à distância, quando é feita com o coração, é sempre para Mim imensamente agradável. Mas são poucas, muito poucas as almas que se lembram, durante o dia, de que Eu estou sozinho nos Sacrários das igrejas e das capelas, e procuram fazer-Me então um pouco de companhia, mesmo do lugar onde estão.” 

 

L1 - “Se são muito poucas, estas almas que me recordam durante o dia, acredita que são ainda menos aquelas que se lembram da Minha solidão durante a noite. Aqui, nos Meus Sacrários-Horto, espero durante toda a semana pelos Meus filhos. Quando aparecem, muitos entre eles, apresentam-se distraídos; outros, numa total falta de respeito. É grande a percentagem daqueles para quem a Minha presença nada representa. Não Me falam, mas falam uns com os outros, quando estão junto de Mim.” 

 

L2 - “Dos Meus Sacrários, observo os indiferentes, os que conversam, as mulheres desnudadas, e vejo que sou muito pouco importante para a grande maioria dos Meus filhos. É este abandono de que Me queixo, perante uma Igreja cheia de gente no dia de Domingo. Está, efetivamente, cheia de gente, mas é como se não estivesse lá ninguém, pois os seus corações não estão Comigo. Ali estão só os corpos, e muitos em atitudes desrespeitosas.”

 

L3 - “E o que vou dizer das comunhões, o momento por Mim tão esperado, quando vejo aproximarem-se de Mim as almas indiferentes, muitas delas sem mesmo saberem bem o que vão fazer? Vejo, também, com horror, que se aproximam aqueles cujas almas, carregadas de pecados, parecem estrumeiras, onde Me introduzem. Aproximam-se almas cheias de ódio, almas que não perdoam, e Eu tenho que descer para o meio de toda essa raiva; almas que trazem inveja, outras cheias de orgulho, que se consideram inundadas de saber ou de virtudes, outras que vivem em uniões ilícitas, públicas ou escondidas. Trazem tantos pecados secretos, mas que Eu vejo!”

 

L4 - “Todos estes se aproximam de Mim, para receber-Me, não por Amor, mas por hábito, alguns por ignorância, que pode ser ou não culpável. Por isso não julgues nunca os que vês aproximarem-se de Mim, mas procura rezar por estas pessoas, se te parece que não deviam vir. Ainda falta agora falar-te daqueles que Me desprezam a ponto de Me receberem, e depois Me levarem para Me deitar fora, examinar em casa e brincar, para conservar, por falsa piedade ou para vender.” 

 

D – Meu Jesus, perdão e Misericórdia,

T – Pelos méritos de Vossas Santas Chagas!

 

Oremos

L1 - Ó Jesus, Sumo e Eterno Sacerdote, guardai os Vossos sacerdotes sob a proteção do Vosso Sagrado Coração, para que nenhum mal lhes aconteça. Conservai ilibadas as suas mãos ungidas que tocam todos os dias o Vosso Sagrado Corpo Santíssimo. Conservai puros os seus lábios tintos do Vosso Preciosíssimo Sangue. Conservai puros e desapegados dos bens da terra os seus corações que foram selados com o caráter sublime do Vosso Glorioso Sacerdócio. Fazei-os crescer no amor e fidelidade para Convosco e preservai-os do contágio do mundo. Dai-lhes também, juntamente com o poder que têm de transubstanciar o pão e o vinho em Vosso Corpo e Sangue, o poder de transformar os corações dos homens. Abençoai os seus trabalhos com copiosos frutos e concedei-lhes um dia, a coroa da Vida Eterna.

T - Amém!

 

D – Jesus, manso e humilde de coração!

T – Fazei o coração dos sacerdotes semelhante ao Vosso Sagrado Coração!

 

D - A CARIDADE DE CRISTO NOS CONSTRANGE (2 Cor 5,14)

 

L2 - Jesus é amado por poucos, porque poucos são os que meditam nas penas que por nós sofreu; quem, porém, as medita a miúdo, não poderá viver sem amar a Jesus: sentir-se-á de tal maneira constrangido por Seu Amor, que não lhe será possível resistir e deixar de amar a um Deus tão amante, e que tanto sofreu para Se fazer amar.

 

L3 - Todos os santos aprenderam a arte de amar a Deus, no estudo do crucifixo. São Francisco chorava ao meditar os sofrimentos de Jesus Cristo. Uma vez perguntaram-lhe a razão e ele disse: “Eu choro por causa dos sofrimentos e das afrontas ocasionadas ao meu Senhor e minha pena cresce e aumenta, vendo a ingratidão dos homens que não O amam e dele se esquecem.” Todas as vezes que ouvia balir um cordeiro, sentia grande compaixão, pensando na morte do Cordeiro Imaculado. Assim recomendava a meditação da Paixão.

 

L4 – Afirmava Santo Agostinho: “Mais vale uma só lágrima derramada em recordação da Paixão de Jesus do que uma peregrinação a Jerusalém e um ano de jejum a pão e água.” E, na verdade, porque vosso Salvador  padeceu tanto, senão para que nisso pensássemos e pensando nos inflamássemos no amor para com Ele?

 

D - A Maria, pelas vocações e pelos sacerdotes:

 

L1 - Ó Mãe fidelíssima, cuidai da Vossa Casa, a Santa Igreja, e providenciai que sempre haja contínuo e ininterrupto fluxo de vocações para o sacerdócio, para que nunca nos falte o Pão cotidiano da Vida Eterna! E enviai os Vossos Anjos, para que santos sacerdotes sejam os guias destes jovens para o altar. Que os seminaristas saibam que há uma luta santa por Deus, para que a santa fé se conserve pura, e o bom Pastor é mais do que necessário ao Povo de Deus, pois o lobo já veio assaltar o rebanho.

T - Amém

 

D - Ó Maria, ao Vosso Coração confiamos todos os nossos Sacerdotes.

T - Guiai-os, guardai-os, protegei-os e salvai-os. 

D - Coração Eucarístico de Jesus, Modelo do Coração Sacerdotal!

T – Tende piedade de todos os sacerdotes! 

 

L2 -   Maria Santíssima, fostes prometida no Paraíso aos nossos primeiros pais, como mãe do Salvador do mundo. Chegando à plenitude dos tempos, na virgindade concebestes o Filho de Deus; Na pobreza O gerastes e O educastes; Na obediência O levastes para o Egito e Nazaré e O acompanhastes até a morte na Cruz. Fazei que tudo o que Vós fostes outrora, sejam hoje na Igreja e no mundo, os sacerdotes.  Por isso, alcançai esta graça: que muitos da nossa juventude, sigam generosos o Vosso exemplo e perseverem na busca das suas vocações.

T - Amém!

 

L3 – Ó Maria, que em Sua virgindade consagrada, os sacerdotes se tornem fecundos na santificação do mundo e em sua pobreza evangélica sejam ricos em tesouros do Evangelho. Em sua obediência apostólica, irradiem a liberdade dos filhos de Deus. E Vós, Virgem Santíssima, que sois Medianeira de todas as graças, tudo alcançais do Coração do Pai, por que sempre o pedis por intermédio de Vosso Filho. Sabemos também que é por Vossas preces que na Igreja de Cristo  nascem novas vocações para a vida consagrada. Assim, a Vós confiamos o cuidado de implorar sempre mais vocações. Por isso também felizes Vos Chamamos de Mãe dos religiosos e das religiosas!

T - Amém!

 

D – Jesus, a cada um de nós :

 

L4 - “Este é o grande trabalho das vossas quintas-feiras: é uma tarefa muito importante que vos confio.”

 

L1 - “Rezai por todos os sacerdotes esta noite, sim rezai muito por eles, e, apesar de poderdes pedir por outras pessoas, rezai principalmente por eles, nas diversas situações de responsabilidade e de perigo em que se encontram. Pedi, aqui junto de Mim, por todos os sacerdotes, porque isso é muito importante para eles, e eu agradecer-vos-ei o que por eles vos esforçardes. Mas, chegai-vos para bem perto de Mim, porque além daquilo que espero de vós a respeito dos sacerdotes, há outros assuntos que, do Meu Horto de dor, vejo no vosso mundo, no mundo em que viveis agora. Isso quero também dizê-lo, em confidência aos vossos corações. Tereis coragem de ficar e de ouvir até o fim os motivos que Me levam a dizer: “A Minha Alma está triste até a morte.”

 

DREZEMOS AGORA PELOS SACERDOTES E PELAS SUAS GRANDES NECESSIDADES!

 

L2 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que se transviaram no caminho da sua missão, onde um dia entraram com amor e alegria, e hoje ficam em dúvida diante das dificuldades que encontram. Socorrei-os, tirai-lhes as dúvidas e mostrai-lhes a alegria de ser Vosso discípulo.

 

D – Tu és sacerdote para sempre

T – Segundo a ordem do rei Melquisedec!

 

L3 -Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que não imploram Graça e Luz para as suas dúvidas e tentações. Que não pedem perdão pelos seus pecados, e que não rezam por aqueles de que têm a responsabilidade de levar à salvação. Senhor, santificai-os e dai-lhes a graça da oração e da penitência, para que eles consigam exercer o seu mandato para sempre.

 

D – Tu és sacerdote para sempre

T – Segundo a ordem do rei Melquisedec!           

 

L4 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que se entregam exclusivamente às obras, que vivem no desejo do êxito, que se deixam embalar pelos louvores e descuidam de sua vida espiritual e da oração e assim esquecem da sua missão de salvar almas. Senhor, perdão, graça, luz e misericórdia para esses sacerdotes a fim de que se lembrem sempre da sua missão.

 

D – Tu és sacerdote para sempre

T – Segundo a ordem do rei Melquisedec!

 

L1 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que se envaidecem do seu saber. Estudam muito, para mostrar cada vez mais sabedoria ao mundo, mas cujo saber está cheio de doutrinas falsas, que põem em dúvida a Vossa própria Palavra nas Escrituras, e assim geram a descrença nos filhos que lhes confiastes. Mostrai-lhes a Verdade, iluminai os caminhos para que volte para junto do Bom Pastor.

 

D – Tu és sacerdote para sempre

T -Segundo a ordem do rei Melquisedec!

 

L2 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes mundanizados, que apreciam as festas, as comodidades, os luxos e o dinheiro e se aproximam apenas das pessoas ricas, desprezando os pobres e assim contradizem a Tua Palavra. Perdoai-lhes Jesus e mostrai-lhes o Vosso caminho de pobreza e humildade.

 

D - Jesus, manso e humilde de Coração!

T – Fazei o coração dos sacerdotes semelhante ao Vosso Sagrado Coração!

 

L3 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que desprezam o trabalho humilde do confessionário e o atendimento daqueles que os procuram na necessidade de um conselho. Que afastam as almas aflitas, com palavras de aborrecimento e pressa, que afastam as pessoas da confissão, da qual eles próprios se afastam também. Iluminai-os, nós Vos pedimos, ajudai-os e tocai-os com o Vosso Amor.

 

D – Tu és sacerdote para sempre.

T – Segundo a ordem do Rei Melquisedec!

 

L4 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que se deixam dominar pelo mundano, pelos sentidos, pelas paixões e por isso se deixam seduzir , levando-os para o seu próprio pecado oculto, traindo as suas promessas de fidelidade e santidade. Perdão para eles, Jesus. Perdoai e convertei-os para que retomem a vida de santidade para a qual foram chamados.

 

D – Tu és sacerdote para sempre.

T – Segundo a ordem do rei Melquisedec!

 

L1 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que recusam a Vossa Cruz, e atiram-na para os ombros dos irmãos, com manifestações de mau gênio, intolerância e preguiça. Mostrai-lhes a sabedoria da Cruz, e enchei-os da Vossa paciência e da Vossa mansidão. Perdão e misericórdia para esses sacerdotes.

 

D – Jesus, manso e humilde de Coração

T – Fazei o coração dos sacerdotes semelhante ao Vosso Sagrado Coração!

 

L2 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que têm cargos de chefia, cargos de destaque, para que exerçam as suas funções com humildade, e delas não se envaideçam, mas as usem para Vos servir.

 

D - Tu és sacerdote para sempre.

T – Segundo a ordem do Rei Melquisedec!

 

L3 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que estão no ensino. Jesus, nós Vos imploramos, concedei-lhes a sabedoria e a ciência de que necessitam nas suas funções, aliadas a um grande amor por Vós, para o comunicarem aos seus alunos. 

 

D - Jesus, manso e humilde de Coração  

T – Fazei o coração dos sacerdotes semelhante ao Vosso Sagrado Coração!

 

L4 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que usam os meios de comunicação, para que transmitam a Tua Verdadeira Sabedoria.

 

D - Tu és sacerdote para sempre. 

T – Segundo a ordem do Rei Melquisedec!

 

L1 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que são superiores de casas religiosas, para que transmitam o Vosso Amor a todos e cresçam em santidade.

 

D - Tu és sacerdote para sempre.

T  – Segundo a ordem do Rei Melquisedec!

 

L2 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes encarregados de pregar, que eles não tenham medo de ensinar as Verdades eternas da fé e que tenham a Luz necessária aos bons frutos da sua missão.

 

D – Jesus, manso e humilde de Coração

T – Fazei o coração dos sacerdotes semelhante ao Vosso Sagrado Coração!

 

L3 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes envolvidos com assuntos administrativos. Acompanhai-os, Senhor, e enchei-os de Sabedoria.

 

D - Tu és sacerdote para sempre.

T – Segundo a ordem do Rei Melquisedec!

 

L4 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que chegaram ao fim do dia, e não tiveram uma hora para estar Convosco. Nós Vos imploramos, ide Vós ter com eles e tocai-lhes o coração com a Vossa  Graça e com o Vosso Amor, para que vejam que a Vossa companhia é melhor que tudo o mais.

 

D - Jesus, manso e humilde de Coração. 

T – Fazei o coração dos sacerdotes semelhante ao Vosso Sagrado Coração!

 

L1 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que trabalham nos hospitais e para os que visitam as casas geriátricas e os asilos, para que lhes seja dada a graça de transmitir a Paz e a Esperança aos doentes, e comunicar o Vosso Amor a todos, principalmente aos que vão morrer, levando-lhes os últimos sacramentos.

 

D - Jesus, manso e humilde de Coração. 

T – Fazei o coração dos sacerdotes semelhante ao Vosso Sagrado Coração!

 

L2 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que andam de paróquia em paróquia, assoberbados de trabalho, cumprindo a sagrada missão que lhes confiastes. Senhor, recompensai-os com muitas graças pelos seus trabalhos e canseiras e santificai as suas ações apostólicas.

 

D - Tu és sacerdote para sempre.

T – Segundo a ordem do rei Melquisedec!

 

L3 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes abandonados, os perseguidos, que estão doentes, e para os idosos. Concedei-lhes a graça de aproveitarem as suas dores e dificuldades, para crescerem em amor e santidade.

 

D - Pela Vossa Dolorosa Paixão. 

T - Tende misericórdia dos sacerdotes e do mundo inteiro!

 

L4 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que são vítimas de intrigas e calúnias. Para os que são criticados pelos próprios colegas, por causa da sua fidelidade à Sã Doutrina Católica...Dai-lhes forças para a sua cruz.

 

D - Jesus, manso e humilde de Coração. 

T – Fazei o coração dos sacerdotes semelhante ao Vosso Sagrado Coração!

 

L1 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que estão continuamente rodeados de pessoas bajuladoras, que os convencem de que eles são santos, e assim os cumulam de perigos, além de os fazerem perder tempo. Senhor, fazei que eles não Vos percam de vista.

 

D - Tu és sacerdote para sempre.

T  – Segundo a ordem do rei Melquisedec! 

 

L2 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que sofrem tentações, que estão em trevas, que não veem mais o caminho reto que lhes ensinaste e não sabem mais o que fazer da sua vida. Tende piedade deles, Senhor.

 

D - Tu és sacerdote para sempre.

T  – Segundo a ordem do rei Melquisedec!

 

L3 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que já não têm a Verdadeira Fé, que se deixaram dominar por ideias falsas, e já não acreditam nos Sacramentos, não creem na Vossa presença Eucarística, e admitem as faltas de respeito e os abusos. Jesus, perdão para esses sacerdotes.

 

D - Tu és sacerdote para sempre.

T – Segundo a ordem do rei Melquisedec!

 

L4 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que não seguem mais a Sã Doutrina, que aderiram ao modernismo e ao secularismo e foram se afastando cada vez mais da Vossa Verdadeira Igreja, relativizando os santos Mandamentos e os Sacramento. Suplicamo-Vos, fazei-os voltar à obediência à Verdadeira Igreja.

 

D - Jesus, manso e humilde de Coração. 

T – Fazei o coração dos sacerdotes semelhante ao Vosso Sagrado Coração!

 

L1 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que estão arrependidos de ter seguido o caminho do Sacerdócio e também, para os que estão tentando deixar este Santo Serviço. Nós Vos pedimos que lhes deis a Verdadeira Luz para voltarem ao caminho da Verdade e que tenham Amor para não o deixarem.

 

D - Tu és sacerdote para sempre.

T – Segundo a ordem do rei Melquisedec! 

 

L2 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que cederam às tentações, que Vos abandonaram, quebrando os seus votos e as suas promessas  e agora andam errantes pelos caminhos do mundo e esqueceram que são sacerdotes para sempre.

 

D - Tu és sacerdote para sempre.

T – Segundo a ordem do rei Melquisedec! 

 

L3 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que estão arrependidos de Vos terem abandonado, mas não vêem possibilidade de mudar de vida, por causa das responsabilidades que assumiram e assim seguem sem rumo pelos caminhos do mundo. Nós Vos pedimos que os envolvais com a Vossa Misericórdia, por que esqueceram que são sacerdotes para sempre.

 

D - Tu és sacerdote para sempre.

T – Segundo a ordem do rei Melquisedec! 

 

L4 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que não se arrependem de Vos terem abandonado, e apesar de serem sacerdotes para sempre,  se gloriam da sua traição. Nós Vos pedimos, para eles, a graça do arrependimento e do perdão.

 

D - Tu és sacerdote para sempre.

T – Segundo a ordem do rei Melquisedec! 

 

L1 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para aqueles sacerdotes que resistem com heroísmo, que rezam e trabalham, que cumprem o seu dever, que procuram agradar-Vos e não ao mundo, para que perseverem nessa atitude e avancem cada vez mais no caminho da santidade. Sede Vós próprio Senhor a consolação e a alegria destes sacerdotes.

 

D - Tu és sacerdote para sempre.

T  – Segundo a ordem do rei Melquisedec!

 

L2 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes que têm limitações de tempo mas se esforçam na sua missão, e que por isso, sofrem muitas necessidades e perigos, para que sejam fortalecidos cada vez mais no seu ministério.

 

D – Jesus Manso e humilde de Coração

T - Fazei o coração dos sacerdotes semelhante ao Vosso Sagrado Coração!

 

L3 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão.... como tesouro de graças, para os sacerdotes falecidos, para que, pelo Vosso Sangue, sejam purificados e conduzidos ao Vosso Reino.

 

D - Concedei-lhes Senhor, o descanso eterno.

T – E a Luz Perpétua os alumiem!         

 

L4 - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão...., como tesouro de graças, PARA TODOS OS TEUS SACERDOTES, para que eles conduzam até Vós os filhos que lhes confiastes, e recebam finalmente a Coroa da Glória na eternidade. 

T - AMÉM!

 

D - Tu és sacerdote para sempre.

T  – Segundo a ordem do Rei Melquisedec!

 

Oremos

L1 - Mãe Dolorosa, peço-Te pelo Teu sofrimento na Morte do Teu Filho, que ofereçais ao Pai Eterno o precioso sangue que jorrou das Chagas de Jesus Cristo Crucificado, pelos pobres sacerdotes transviados, que se tornaram infiéis à sua sublime vocação, para que, o quanto antes voltem junto ao Bom Pastor.

T – Amém!

D – Ó Maria, ao Vosso Coração, confiamos todos os nossos sacerdotes!

T – Guiai-os, guardai-os, protegei-os e salvai-os!

 

D – Senhor Jesus Cristo, atendei todos os nossos pedidos! ( Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai)

 

Jesus nos pede intercessão:

T - Meu filho, Minha filha! “Reza agora pelas pessoas que se recomendaram à tua oração. Reza por teus familiares, amigos e inimigos e também por aqueles que já te fizeram sofrer. Reza por todos os que necessitam de oração e por aqueles de que te lembras agora. Chama-os todos, espiritualmente, para junto de ti, pois Eu os abençoarei. Reza também pela Santa Igreja e pelas suas grandes necessidades. Lembra-te especialmente de Sua Santidade o Papa Bento XVI, de Francisco e seu Colegiado, dos bispos, dos sacerdotes dos diáconos, dos seminaristas, dos religiosos, dos consagrados e dos vocacionados. Pede também pelas almas do Purgatório, pelas almas da Mansão Pagã, pelos pecadores, pelos doentes, pelos agonizantes e pelos que sofrem. Pede ainda pelas tuas necessidades pessoais e por toda a humanidade.”

 

T - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão, sobre .......

( coloque aqui os teus pedidos e agradecimentos )

 

Súplica final:

D - Senhor Jesus Cristo, nós Vos pedimos uma gota do Vosso Preciosíssimo Sangue, nesta hora da Vossa Santa Paixão, sobre todos estes nossos pedidos que hoje aqui fizemos! ( Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai )

 

BÊNÇÃO DE JESUS:

T - “Ao terminar esta hora de amor e de reparação pede a Minha bênção, e tenha a certeza de que ela te será dada... ( faz aqui o teu pedido...) Agradeço-te e abençoo-te no fim desta hora e leva contigo as Minhas Graças e o Meu Amor, que te fará permanecer Comigo através das horas do teu sono, para, amanhã ao acordares, continuares Comigo durante todo o teu dia, e assim até o fim da tua vida, quando, finalmente, ficarás Comigo para sempre” Amém!

 

D - Graças e louvores se deem a todo momento! (3x)

T - A JESUS, MEU DEUS, O SANTÍSSIMO SACRAMENTO!

Mãos ensangüentadas de Jesus

Mãos feridas lá na cruz

Vem tocar em mim (3x)

Vem Senhor Jesus!

Mãos que as crianças abençoaram

Mãos que os pães multiplicaram

Vem tocar em mim (3x)

Vem Senhor Jesus!

Mãos glorificadas de Jesus

Mãos feridas lá na cruz

Já tocou em mim (3x)

Sim Senhor Jesus!

Glória ao Pai....

Bênção Final:

T - Levante-se Deus, por intercessão da Virgem Maria, de São Miguel Arcanjo e de toda a Milícia Celeste. Sejam dispersos Seus inimigos e fujam de Sua Face todos os que O odeiam!   Em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo...

---------------------------------

Fonte desta “Hora Santa”: impresso obtido com o Sr. João Carlos Rech,

integrante do “Movimento Cidadãos do Infinito”, de Santa Cruz do Sul – RS

 

Edição e formatação: Francisco Bento Bornholdt e Lurdes Führ Bornholdt,

“Grupo de Orações Nossa Senhora de Lourdes”

Paróquia Nossa Senhora Aparecida

em PINHAIS – PR

----------------

www.totustuusmariae.com.br

--------------

Veja também:

 

 
 
 

Artigo Visto: 81 - Impresso: 2 - Enviado: 2

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte www.totustuusmariae.com.br

 

 
     
 
Visitas Únicas Hoje: 103 - Total Visitas Únicas: 370776 - Usuários online: 17