"Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor?" (Lucas, 43)
 
       
 
Documento sem título
 

Livro: Epístola aos Efésios



 
Capítulo 04
Este capítulo foi visto 459 vezes.
 
1. Exorto-vos, pois, - prisioneiro que sou pela causa do Senhor -, que leveis uma vida digna da vocação à qual fostes chamados,
2. com toda a humildade e amabilidade, com grandeza de alma, suportando-vos mutuamente com caridade.
3. Sede solícitos em conservar a unidade do Espírito no vínculo da paz.
4. Sede um só corpo e um só espírito, assim como fostes chamados pela vossa vocação a uma só esperança.
5. Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo.
6. Há um só Deus e Pai de todos, que atua acima de todos, por todos e em todos.
7. Mas a cada um de nós foi dada a graça, segundo a medida do dom de Cristo,
8. pelo que diz: Quando subiu ao alto, levou muitos cativos, cumulou de dons os homens (Sl 67,19).
9. Ora, que quer dizer ele subiu, senão que antes havia descido a esta terra?
10. Aquele que desceu é também o que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas.
11. A uns ele constituiu apóstolos; a outros, profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores,
12. para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do corpo de Cristo,
13. até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo.
14. Para que não continuemos crianças ao sabor das ondas, agitados por qualquer sopro de doutrina, ao capricho da malignidade dos homens e de seus artifícios enganadores.
15. Mas, pela prática sincera da caridade, cresçamos em todos os sentidos, naquele que é a cabeça, Cristo.
16. É por ele que todo o corpo - coordenado e unido por conexões que estão ao seu dispor, trabalhando cada um conforme a atividade que lhe é própria - efetua esse crescimento, visando a sua plena edificação na caridade.
17. Portanto, eis o que digo e conjuro no Senhor: não persistais em viver como os pagãos, que andam à mercê de suas idéias frívolas.
18. Têm o entendimento obscurecido. Sua ignorância e o endurecimento de seu coração mantêm-nos afastados da vida de Deus.
19. Indolentes, entregaram-se à dissolução, à prática apaixonada de toda espécie de impureza.
20. Vós, porém, não foi para isto que vos tornastes discípulos de Cristo,
21. se é que o ouvistes e dele aprendestes, como convém à verdade em Jesus.
22. Renunciai à vida passada, despojai-vos do homem velho, corrompido pelas concupiscências enganadoras.
23. Renovai sem cessar o sentimento da vossa alma,
24. e revesti-vos do homem novo, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade.
25. Por isso, renunciai à mentira. Fale cada um a seu próximo a verdade, pois somos membros uns dos outros.
26. Mesmo em cólera, não pequeis. Não se ponha o sol sobre o vosso ressentimento.
27. Não deis lugar ao demônio.
28. Quem era ladrão não torne a roubar, antes trabalhe seriamente por realizar o bem com as suas próprias mãos, para ter com que socorrer os necessitados.
29. Nenhuma palavra má saia da vossa boca, mas só a que for útil para a edificação, sempre que for possível, e benfazeja aos que ouvem.
30. Não contristeis o Espírito Santo de Deus, com o qual estais selados para o dia da Redenção.
31. Toda amargura, ira, indignação, gritaria e calúnia sejam desterradas do meio de vós, bem como toda malícia.
32. Antes, sede uns com os outros bondosos e compassivos. Perdoai-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou, em Cristo.

 
 


 
     
 
Visitas Únicas Hoje: 43 - Total Visitas Únicas: 341507 - Usuários online: 18