Totus Tuus Mariae




Artigos
  • Voltar






23/02/2013
A quem seguiremos?



Numa mensagem Nossa Senhora diz: Peço-vos, hoje, amados, fazer muitas penitências, mortificações, sacrifícios em favor do Santo Padre. Está agonizando, filhinhos! O Santo Padre agoniza. É o meu papa, escolhido por Deus para estes tempos difíceis. É incompreendido, sufocado e perseguido, por homens que vivem do ódio, do poder, da ganância. Rezai muito por ele. É preciso que cumpra toda a missão, que a ele foi solicitada por Deus. E ele assim o quer. Assim se propõe, com todo amor e força, mas se vê entre inimigos, que lhe armam ciladas e não lhe permitem cumprir tudo o que quer. Ama suas ovelhas com todo o ardor e a elas quer enviar suas santas mensagens, mas poucas chegam até elas. Sofre muito. Rezai, filhinhos, por vosso Santo Pastor. (grifos nossos)
 
Nestes tempos de silêncio do Céu – e de tantos tumultos na terra e mesmo no Universo – quanto aos assuntos do futuro, onde ao que tudo indica se prepararam os anjos para fazerem soar as trombetas (Ap 8), os assuntos que nos foram pedidos para tratar são aqueles voltados para a defesa da Santa Igreja, dos Cânones, o conjunto de regras que formam a Sã Doutrina católica, e a consequente denúncia das heresias e erros. Também devemos nos dedicar a tudo o que é voltado para as almas e para a salvação eterna. Muitos nos pedem que continuemos informando sobre as questões do fim, mas devemos respeitar a vontade do Pai, porque tudo o que poderemos dizer seriam meras hipóteses, uma vez que Deus tem mil meios de fazer cumprir seu plano, que é nos salvar. Tudo o mais são meras estratégias que podem mudar a qualquer momento. E afinal, tudo já foi dito, escrito, falado e profetizado! (grifos nossos)
 
Neste momento de tantas dúvidas para a Igreja e os fiéis em todo o mundo católico, não é importante para nós sabermos, nem mesmo questionarmos sobre quem será a pessoa que ocupará a sede vacante deixada por Sua Santidade o Papa Bento XVI, se homem novo ou velho, se bonito ou feio, se agrada a todos ou não agrada, se ele é do bem ou do mal, enfim, se todo aquele conclave que se anuncia será por obra do Espírito Santo ou não. O que pode acontecer, e mais fácil do que muitos imaginam. De fato, em toda a história dos 265 Papas da nossa Igreja, nem sempre a eleição foi conduzida por Deus, tanto que a própria Igreja considera que já teve 32 antipapas. E isso significa que não estamos imunes de mais uma vez termos uma eleição não canônica, alias, esta é uma previsão de São Francisco, e falamos aqui de um santo, não de um profeta atual.
 
Acredito ter recebido nestes últimos dias, mais de 200 artigos tratando da saída do Santo Padre. Sabemos que a mídia está nas mãos do inimigo, que procura sempre desviar o mundo das coisas de Deus, e quando se trata Dele, aí mesmo é que são tendenciosos, mas uma coisa nos fica muito clara: existe dentro do Vaticano uma trama que é mil vezes mais terrível do que se possa imaginar. Recentemente, numa entrevista, o Padre Gabriele Amorth, que é o exorcista oficial do Vaticano disse que existem cardeais em Roma que não acreditam em Jesus Cristo, imagine se vão trabalhar para Ele. E existem mensagens dizendo que pessoas deste naipe vão participar do próximo conclave, e se a eleição for mesmo não canônica um deles pode vir até a ser eleito. Afinal, profecias há de sobra apontando para esta possibilidade. A imensa maioria dos artigos fala em dinheiro, fama, poder, corrupção, agenda gay, vitileaks e são capazes de matar, pois são de índole pior do que o próprio anticristo. Que Deus nos livre desta gente, ao que tudo indica, infiltrada na Cúria Romana! Esta entidade, que foi criada visando dar apoio ao Santo Padre, parece ter se tornado justamente o aguilhão dele. (grifos nossos)
 
Em meio a isso tudo, devemos ter em mente que os rumos da Igreja estão na realidade ligados ao fundamento da decisão de Bento XVI. Nós não temos condições de avaliar se ele de fato foi pressionado a sair, ou se a decisão dele foi aceita pelo céu. Se a primeira for verdadeira, ele continua sendo Papa, se a segunda for verdade, teremos duas vertentes: A primeira seria, a eleição de um justo, para o bem da mesma Igreja e a segunda a eleição de alguém comprometido com o mundo e não com Jesus Cristo. Neste caso, para que se cumpram as profecias atuais, poderia acontecer de uma manobra dos maus, que tomariam as rédeas da Igreja, pondo em lugar do verdadeiro, o falso profeta que ele comandasse a Igreja rumo ao abismo, durante algum tempo. Ou seja: muito confuso, e pode surgir algo diferente disso tudo, porque Deus tem seus caminhos, e O deixemos agir. Tudo o que nos deve mover neste momento são as orações, para que se faça a divina vontade, e para que a Doutrina da Igreja seja preservada.
 
Assim, nunca é demais reafirmarmos, um a um os itens que compõem as verdades da nossa fé, para que todos possam bem discernir nos tempos futuros, caso haja, como previsto em tantas profecias dos nossos santos, uma tentativa de ruptura na Sã Doutrina. Tenho lido, nestes últimos dias tempestuosos, muitos artigos sobre o que tem acontecido após o anúncio da renúncia do Santo Padre. Por incrível que possa parecer, a imensa maioria deles, trás na síntese exatamente a necessidade de uma ruptura – falam isso como algo obrigatório e para o bem da Igreja – com o seu passado bimilenar, para que ela se adapte ao mundo, se adeque aos costumes atuais da humanidade. Eis uma verdade eterna: não é a Igreja Católica que precisa se adaptar ao mundo, mas sim o mundo que deve voltar para Deus. E para isso, só existe um caminho: a Igreja Católica Apostólica Romana! Isso é inquestionável!
 
Há inclusive pestíferas proposições que visam descentralizar a Igreja, não somente através do fortalecimento das já desobedientes Conferências Episcopais, como até reivindicando maior soberania popular no trato das coisas de Deus, deixando nas mãos de cada comunidade o destino de sua Igreja. Ora, se Jesus disse: sede um só, como o Pai e Eu somos um, entregar o destino da Igreja nas mãos da “comunidade celebrante” seria o mesmo que criar, de uma tacada, milhões de novas igrejas. E visam também, aumentar ainda mais o poder das Conferências Episcopais, até reivindicando a soberania deles em relação ao Vaticano, coisas que acabariam com o primado de Pedro, fazendo dele mera figura decorativa, um Papa tipo palhaço, ou um ente decorativo como a rainha do “império do sol nascente”. Isso quando Jesus disse: tu és Pedro, e sobre ti edificarei a minha Igreja! Ele não disse aos doze: sobre vocês todos, Eu edificarei a Minha Igreja. Teria sido o caos, e será o caos se tentarem! Aliás, na realidade isso já acontece hoje, infelizmente, o que se prova na desobediência generalizada dos bispos em relação ao Papa.
 
Uma das coisas mais repugnantes que nós vemos nestes dias, é sem dúvida o descaramento daqueles que durante todo o mandato de Bento XVI foram seus cruéis algozes, seus críticos ácidos e impiedosos, seus mais acintosos desobedientes e até seus inimigos declarados, que agora o “lambem” com palavras cheias e veneno, falando em “gesto digno”, e coisas deste tipo. Repugnante também os pedidos de perdão feitos por certos prelados, que durante o mandado do Papa, estiveram a exigir o casamento dos padres, a ordenação de mulheres, a aprovação da camisinha e até mesmo, pasmem, a aceitação do aborto e a agenda homossexual, entre outros crimes e imoralidades. Estas coisas todas soam como as cusparadas que Jesus levou durante a flagelação e a cruz, sinal de que a Igreja e seu Papa vivem já o início do Calvário. E isso não é apenas sinal, mas evidência de um cisma!
 
Na última mensagem do retiro Nossa Senhora nos diz que ficaremos muito confusos em relação ao que irá acontecer no Vaticano no próximo conclave. Há centenas de profecias de santos da nossa Igreja, que já divulgamos em outros artigos, e nos livros já as citamos. Veja que são diversas possibilidades e é por isso que o Céu nos pede que não questionemos a este respeito, porque como viram tudo fica muito confuso. Tudo acontecerá como Deus quer! Mas existe um meio, onde com muita calma, poderemos nos apegar para ter um bom discernimento sobre o futuro da nossa Igreja. O Espírito Santo instruirá a todos os que humildemente desejarem caminha na verdade, para que saibam discernir entre o que vem de Deus e o que vem do diabo.
 
Assim, no último artigo eu coloquei uma sequência resumida de 20 itens, relacionados com a Santa Doutrina da Igreja, claramente definidos no nosso Catecismo, nos documentos da Igreja, nas Sagradas Escrituras e que são questões inegociáveis, que não podem ser alteradas, não podem ser expurgadas nem subvertidas, sob a pena de, não somente incorrer em erro grave e apostasia, como atrair a Santa ira divina. A Santa Igreja, Mestra e Mãe, guiada pelo divino Espírito Santo, através dos milênios já definiu claramente todas estas posições, e nelas sem manteve, sem mantem, e se manterá inarredável, enquanto existirem homens neste planeta. Exigir que a Igreja aceite seguir o mundo é coisa do pestilento, e fala pela boca dele todos os que sequer aventam esta possibilidade. Nada deve mudar na Igreja e sim devem as pessoas buscar nela os caminhos da salvação!
 
Isso significa que, nem mesmo o Papa, menos ainda bispos e sacerdotes, menos ainda leigos, têm direito de burlar estas regras – e a nenhum dos 2865 itens do nosso atual Catecismo – sem cair em heresia. E nós católicos, todos, somos chamados a defender nossa Igreja e sua Doutrina, até mesmo com a nossa vida, sob a pena de sermos chamados às barras da Justiça. Nenhum de nós, por menor conhecimento que tenha, tem direito de calar-se quando doutrinas diferentes destas aparecerem como “vindas do Papa”, porque elas simplesmente não procedem da Igreja, e menos ainda de Deus. Vejamos uma por uma, aquilo que jamais nossa Igreja aceitará:
 
01 – O aborto, e isso a qualquer pretexto humano ou condição da gestante! Deus é o autor e único Senhor da vida humana. O aborto, em quaisquer circunstâncias, é um ato de violência contra a vida, e um crime de lesa-a-Deus. Digo TODOS, não importa se procedam de violência sexual, se a mulher deseja ou não a criança, e se ela tem ou não condições de criar seu bebê. Nem o homem nem a mulher são donos de seus corpos! Nem o homem nem a mulher têm direito de decidir sobre a vida. Quando a mulher engravida, no exato momento da fecundação, seu corpo que foi apenas emprestado por Deus, passa a ser “propriedade” do pequeno ser que miraculosamente ali começa a viver. Será ele quem regerá todo o fluxo da vida da mãe a partir dali. Ele tem direito de viver! O direito de ele viver, vem mil vezes antes do direito de a mãe o abortar. E isso a verdadeira Igreja defenderá sempre!
 
02 – A eutanásiasob qualquer pretexto humano ou condição do paciente! Da mesma forma como o item anterior, somente Deus pode tirar a vida de alguém. Concordo que seja difícil muitas vezes decidir até onde usar de meios artificiais para manter a vida, entretanto a prudência sempre indicará o momento certo em cada caso. Hoje a medicina tem evoluído muito, e as máquinas podem manter um homem vegetal por até décadas, especialmente quando a família tem recursos. Mas creio, nestes casos irreversíveis, que não se deve alongar o suplício do paciente por muito tempo, e deixar a vida seguir seu curso. Certa vez fui visitar um paciente, que estava há muitos anos entubado, simplesmente um monte de pele e ossos, já com os joelhos encolhidos e cravados no peito, como se tivesse secado ao sol, e a família não desistia. Ora isso não é amor é loucura. É não ter confiança em Deus!
 
03 – O casamento entre pessoas do mesmo sexo, sob qualquer pretexto ou condição! Mais uma vez aqui entra a questão da vida, e não somente dela e sim da formação da família e de toda a sociedade. Nenhum corpo bem formado é eficiente, se nele existirem anomalias. A célula mãe de uma sociedade duradoura é a família humana, formada por um pai e uma mãe – um homem e uma mulher, como Deus a planejou e deseja – com os filhos gerados ou cuidados por eles, porque este é o único modo de “crescer e multiplicar-se para encher a terra”. Ela precisa manter-se no equilíbrio afim de que os filhos cresçam equilibrados, e assim a sociedade se perpetue sem sobressaltos, sem as anomalias e distúrbios de personalidade que comprovadamente acontecem nas adoções de crianças por pessoas do mesmo sexo. Nem a vida religiosa, nem a vida civil aprovada por Deus deve admitir esta prática, que é odiosa aos olhos do Criador!.,.. E extremamente aplaudida pelo inferno!
 
04 – A agenda homossexual, sob qualquer regra humana, lei ou condição da pessoa! No mundo de hoje, um dos setores mais ativos é aquele que defende o pecado da relação sexual entre pessoas do mesmo sexo. Com fúrias além da conta, os grupos que defendem este pecado, tem conseguido impor aos parlamentos mundiais suas teses e proposições, a custa de somas estratosféricas recebidas dos agentes do mal. Não contentes em abrirem espaço para suas práticas, eles querem já avançar fazendo-se criaturas especiais, acima dos seres humanos comuns, que devem merecer a proteção do estado a estima de todos os cidadãos, impondo suas regras a todos, sob pena de condenação e prisão. Isso jamais será aceito pela verdadeira Igreja de Cristo! Sim a defesa da pessoa com esta inclinação, que deve ser auxiliada, e amada como filho de Deus, jamais o pecado e imposição desta prática a toda a humanidade.
 
05 – As sociedades secretassejam de que tipo elas forem, ou que face apresentem! Em tese, tudo aquilo que é feito às escondidas, que é tramado nas sombras, quando visa domínio da raça humana, extorsão dos povos, roubo sistemático e organizado, tudo isso é contra a Lei de Deus. Sim, uma empresa deve manter segredo de suas marcas e patentes, e não pode abrir seu jogo aos concorrentes. O que jamais a Igreja verdadeira aprovará é qualquer tido de prática que vise explorar os povos, via a união de forças, via regras escusas, via usurpação dos melhores contratos, via corrupção dos governos, tendo em vista o bem de uns, em detrimento de bilhões. Mesmo que estas sociedades, depois das práticas conjuntas de espoliação se deem a determinadas caridades e benemerências, elas se tornam cínicas na medida em que resultam de conchavos diabólicos, tramados nas sombras. Tudo o que é de Deus é aberto a todos, e tudo o que é tramado na escuridão vem do inimigo.
 
06 – O casamento dos sacerdotes, sob qualquer pretexto ou condição! Jesus, Sumo Sacerdote, escolheu a condição de celibatário para o exercício de seu ministério, e este exemplo deve ser seguido pela Igreja. Em primeiro lugar Ele dedicou sua vida pública, na íntegra, voltada ao cumprimento da vontade do Pai. Embora Ele tenha no início escolhido homens casados, como o próprio Pedro, sabemos que este mesmo Pedro largou tudo para seguir Jesus. E tudo leva a crer que todos os outros 12 fizeram o mesmo. Com o correr dos séculos a Igreja percebeu que o exercício da dupla função, a manutenção da família e o pleno exercício do sacerdócio não combinavam, porque também o matrimonio exige tempo integral e dedicação total a família. Um padre casado, com uma família desestruturada, simplesmente perde toda a autoridade diante da Igreja. E se for para ser pedra de escândalo, com absoluta certeza o celibato diminui este risco em muito. Ninguém pode servir a dois senhores, porque sempre amará mais um do que o outro. Afinal, os padres todos sabem, porque juram diante de Deus que se manterão castos, pobres e obedientes, portanto não devem ser casados. Ou então que não se deixem ordenar! Ninguém os obriga, e têm tempo de sobra para pensar, antes de JURAREM diante de Deus que cumpririam seus votos! 
 
07 – A ordenação de mulheres, sob qualquer alegação ou pretexto! Jesus era homem, e escolheu homens para o episcopado e o sacerdócio. Esta premissa básica anularia de imediato qualquer pretensão feminina de ascender ao sacerdócio. Nem mesmo à Sua Mãe Maria, Jesus elevou à dignidade sacerdotal. Quem outra mulher então se julgaria mais digna do que a Mãe de Deus, para sobrepor-se a Ela? A própria mulher deveria pensar neste sentido e fazer-se serva com se fez Maria, para exercer o mesmo sacerdócio leigo que Ela exerceu, capaz de formar o próprio filho de Deus. A mulher é feita sacerdote do seu lar, da família, na educação e formação de seus filhos e seu esposo, sendo o esteio da salvação do lar. Se ela fizer isso nas famílias, não precisará sonhar com o sacerdócio ordenado, a quem quase se equipara na glória. E afinal, todas as religiões que adotaram sacerdotisas acabaram afogadas na orgia, e desapareceram imersas em sangue.
 
08 – O falso ecumenismo, a união de todos os credos fora da verdade TOTAL de Pedro! Esta é uma pretensão insana dos destruidores da Igreja Católica, dos que desejam transformar todas as religiões em uma só, como se desta forma é que se cumpriria a palavra de Jesus, um só rebanho, um só pastor. Porque o que o falso ecumenismo quer é sim, que o “pastor” seja o diabo. Não existe possibilidade de união entre Jesus e Belial. Deus é um só, e Sua Igreja é também uma só. E somente através dela é que há possibilidade de salvação. Esta Igreja Una tem uma Doutrina Única e Santa, que não admite divisões, porque Deus Verdade não Se divide. Então todo ecumenismo, que não vise trazer para a Unidade Santa, da Santa Igreja Católica, na integralidade de sua Doutrina, e sem ceder um só milímetro nesta lei, nem em seus dogmas, este ecumenismo é falso não vem de Deus, mas de satanás. O que a Igreja pode e deve manter é apenas o “diálogo inter-religioso” que busca manter a liberdade de culto e estabelecer relações cordiais entre as diferentes religiões, ou seitas. Desde que cada uma fique nos seus ritos próprios.
 
09 – A quebra de qualquer dos dogmas de nossa fé, porque imutáveis, eternos! Nenhum dos Dogmas de nossa fé, promulgados pela Santa Igreja Católica, e selados e lacrados por Deus no Céu, pode sofrer qualquer tipo de mudança, nem mesmo um só arranhão. Quanto mais ser abolido! Não tenho aqui como enumerar todos, mas no site já os temos todos em artigo especial, basta procurar. Os Dogmas são sagrados, e será ferido de anátema todo aquele que tiver a ousadia de o quebrar. Ou seja, será excomungado automaticamente e incorrerá na ira divina, mesmo que seja padre, bispo, cardeal ou papa, todo aquele que se dizendo católico e batizado desacreditar dele, ou que o quiser extinguir. Mesmo que a Igreja caminhe pelos milênios afora, e mesmo que o mundo se modernize até atingir as estrelas, isso nunca mais deverá, nem será mudado. Quem o aceitar está fora da Igreja!
 
10 – Qualquer mudança na Sã Doutrina e no atual Catecismo, o de João Paulo II! Este santo Catecismo da Igreja Católico, tão mal e tão pouco usado, ou tenazmente combatido e desprezado pela maioria do Clero Católico – que pagará caríssimo por causa deste ódio e desleixo – foi conseguido por Nossa Senhora a dura penas. Ele é na realidade a bússola que aponta os caminhos da Igreja e tem 2865 respostas para quase todas as perguntas possíveis. Qualquer mudança nele, que implique, por exemplo, na acolhida de qualquer um dos vinte itens que aqui apresento, significa ação do maligno, e quem a apregoar ou viver vem dele. A desobediência quanto ao seu uso, e a criação de tantos catecismos diocesanos divergentes deste, tem sido a causa da maioria das dissensões na Igreja e a causa de enormes perdas de fiéis. Mudá-lo só fará perder ainda mais! E já existem profecias denunciando que está impresso um “novo catecismo” que virá substituir o atual. Não aceitem a troca! Cada um deve agora mesmo ter em sua casa o atual Catecismo, para poder consultar quando perceber que tentam mudar “os tempos e as leis”.
 
11 – Qualquer mudança na fórmula imutável da Consagração da Eucaristia! Não bastassem as mudanças da Missa Nova que a fizeram perder muito em eficácia, tem havido muitas tentativas de mexer no cerne da Santa Missa que é a consagração. Mesmo que o sacerdote sacrílego não acredite nas palavras que pronuncia, o Espírito Santo realiza o milagre, por efeito da Palavra Sagrada: Isto é Meu Corpo! Isto é Meu Sangue! São essas duas frases que, a seu tempo e dentro do rito aprovado pela Igreja, transubstanciam o pão e o vinho no Corpo e no Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. Caso, entretanto, o celebrante ignorar estas palavras, ou pronunciar outras diferentes como: Isso é meu corpo, nós todos! E este é meu sangue derramado para a reconciliação no amor, podem sair da celebração porque você estará assistindo a abominação desoladora predita por Daniel. A mesma que Jesus diz: quando vierem isso acontecer fujam para os montes... Porque a seguir virá o flagelo de Deus sobre o mundo caído!
 
12 – Qualquer mudança no rito da Missa, que será sempre Sacrifício e jamais ceia! Também neste caso, existe um esforço brutal da besta, em andamento, visando retirar da Santa Missa seu sentido real de Sacrifício da Nova e Eterna Aliança de Deus com a humanidade, transformando-a num mero ritual protestante de ceia, espécie de confraternização entre amigos. E isso com a distribuição de “comes & bebes” de diferentes sabores entre os convivas, onde textos escolhidos e modificados da “nova bíblia” substituirão as verdadeiras Palavras de Jesus, por outras muito bem estudas e capciosas, que soam bem aos ouvidos, e que encantarão a maioria dos católicos. Afinal, esta missa festiva eles entenderão, porque visa encher barriga, e matar as almas. Ou seja: na Santa Missa, tudo deve seguir, no mínimo, como agora, sem qualquer tipo de mudança, ou se saberá que vem do inimigo. Tal celebração não deve ser assistida, sob a pena de participar da abominação.
 
13 – Qualquer alteração nos Sacramentos e Sacramentais como as imagens! Nossa Santa Igreja, conduzida sempre pelo divino Espírito Santo, estabeleceu com perfeição todas as normas relativas aos sete Sacramentos, todos instituídos por Jesus, como autovias de salvação. Também estabeleceu as fórmulas de aplicação destes Sacramentos e embora detalhes sobre elas possam ser alterados, jamais a síntese pode ser subvertida. Ou seja, nenhum dos Sacramentos pode ser vilipendiado ou alterado por qualquer norma canônica porque ninguém tem direito de por abaixo aquilo que o Céu mesmo instituiu. Também quando aos sacramentais, as imagens dos santos, água benta, as medalhas, o crucifixo, as indulgências plenárias e parciais, nada disso pode ser desprezado ou abolido, porque são canais preciosos de graças e de bênçãos. Tudo deve continuar igual, e mais do que isso, deve ser incentivado.
 
14 – Qualquer quebra na Tradição bimilenar e na devoção aos santos! A Sagrada Tradição, "transmite integralmente aos sucessores dos apóstolos a Palavra de Deus confiada por Cristo Senhor e pelo Espírito Santo aos apóstolos para que, sob a luz do Espírito de verdade, eles, por sua pregação, fielmente a conservem, exponham e difundam". Ela compreende a oração, a liturgia, os ritos na celebração dos Sacramentos e tantos outros meios de que a Igreja fez uso durante os dois milênios que passaram, para transmitir a fé em Jesus Cristo. E isso não pode, de modo algum, ser desprezado como algo sem sentido, ou ultrapassado, porque são meios eficazes na evangelização e fontes de inumeráveis bênçãos e graças. Também o culto aos santos e o uso das imagens sacras, deve continuar da mesma forma como agora, e nenhuma argumento válido justificará sua abolição pelos homens, diante de Deus. Que ninguém ouse expulsar o Sacrário do centro ou deixar as igrejas vazias de imagens, ou as transformarão em pistas para demônios.
 
15 – Qualquer nova versão da Bíblia, mutilando a sua atual integralidade!Há indicativos seguros de que se planejam mudanças drásticas na edição de novas “bíblias”, que escamoteiam a verdade e usam de muitas figuras de linguagem que podem até ser bonitas, mas são veneno mortal. Satanás, que conhece a Bíblia de cor e salteado, teve dois mil anos a disposição para alterar o sentido das palavras das Sagradas Escrituras, coisa que, aliás, já está fazendo. Por exemplo, mudando a palavra “amor” pela “caridade” coisas que são bem diferentes, mas que para muitos soam bonito. Caridade até bandidos fazem com suas “mulas” que levam drogas! Mas não fazem isso jamais por amor, e sim como forma de exploração! Noutro dia vi uma tradução que subverte a palavra de Jesus quando disse: de que adianta um homem ganhar o mundo inteiro, se perder sua alma. Mas eles afirmam... Perder sua vida. Isso não é o mesmo. Estes são apenas exemplos, já em uso, e podem acontecer milhares destes ardis, muito cuidado então! Não aceitem de modo algum trocar sua Bíblia “velha”, por uma “novinha”. Esta pode ser venenosa!
 
16 – Qualquer desvio na devoção a Maria Santíssima, no Rosário e na oração!Há quem diga assim: temos Jesus e isso nos basta! Pois bem, quem afirma isso, nem o “seu jesus”, não aquele Filho de Deus, e Filho de Maria. Maria e Jesus são eternamente inseparáveis, e Maria é exatamente aquele que tudo leva para Jesus. Maria é cheia de graças, plena de graças, e, portanto, quem tem a plenitude tem na realidade todas as graças. Ou seja, a Igreja da qual Maria é Mãe, entende que todo o canal de graças que flui de Deus para as almas suplicantes, na realidade passa por Maria. Ela media estas graças entre seu Filho e a Igreja e vice e versa. Por isso, qualquer papa verdadeiro terá de trabalhar assiduamente para promulgar o Dogma de Maria Medianeira de todas as graças, para que o canal destas graças possa fluir para o mundo de modo abundante, pleno. Por outro lado, esquecer-se desta importante missão é prova de má intenção, e prova de que não tratamos com pessoas ligadas em Deus. De fato, se percebe claramente que o inimigo usa de fúrias para evitar esta promulgação pelo Papa, porque ele sabe que, quando isso for feito – e será por um bom papa – terá sido esmagada a cabeça dele. 
 
17 – Qualquer disposição que quebre a unidade da Igreja e frature o cetro de Pedro! Nós temos lido nos últimos dias muitos artigos tratando de expectativas de determinados escritores, jornalistas e analistas, também de vaticanistas, alegando que a Igreja precisa descentralizar-se, que o Papa precisa abrir espaço para o crescimento das Conferências dando aos bispos condições de legislarem em matéria de fé, o que seria o mais terrível desastre. Estas vozes sibilantes, que brotam da língua bífida da serpente, na realidade visam a destruição da Igreja. Somente o diabo é que se interessa por isso, porque sabe que, quebrada a unidade, dividida, fracionada, ele teria um igreja inteira ao seu dispor, porque haveria uma eterna briga de cardeais e bispos uns contra os outros, e assim ele poderia muito facilmente destruir a todos. O cetro deve ser mantido! A Unidade sob Pedro é parte da Lei do Eterno! Sem Pedro, não existe Igreja sobre a rocha, somente sobre os pântanos do mundo! Só Pedro tem a chave que abre e fecha a porta do Céu e nela entra apenas quem caminha na unidade. Os que dividem acham outro caminho! Não o que salva!
 
18 – A contracepção, os meios abortivos, e tudo que atente contra a vida humana!Esqueça camisinha, esqueça pílula do dia seguinte, esqueça qualquer tipo de controle da gravidez. Olhem para a natureza, os animais, dos quais Deus cuida com tanto zelo e dedicação. Deus controla todas as populações de animais e até de plantas, porque tudo cumpre uma função da qual o equilíbrio é a prova da perfeição. Ratos famintos têm dezenas de vezes mais prole do que ratos bem alimentados. Famílias pobres têm o dobro ou mais filhos, do que as ricas. Tudo porque a expectativa de vida dos que passam fome é metade dos bem alimentados. Aumentem a renda das pessoas, distribuam fartamente o alimento que existe, e num passe de mágica o crescimento demográfico se estabiliza. E isso sem matar crianças no ventre das mães, e sem atentar contra a vida humana, por qualquer das formas. A Igreja nunca deixará de defender a vida, porque a entrega nas mãos do Autor dela. Só Deus sabe quem deve morrer, e quem deve nascer. E se nascem crianças, Ele também as alimenta. Agora mesmo, aproveitando-se do tumulto no mundo a Conferência episcopal alemã aprovou o uso da “pílula do dia seguinte”. Felizmente – pasmem – a CNBB de imediato contestou esta medida. No Brasil não! Mas sinal de tempestade!
 
19 – A liberação das drogas e da prostituição legalizada! Naturalmente que se trata de duas coisas impensáveis, até porque ambas atentam contra a vida e a Igreja, que sempre, enquanto ela existir estará na vanguarda dos que defendem a vida humana, como primícias da criação. Podem os governos liberar as drogas – a Holanda a primeira a fazer já se arrependeu – e podem também legalizar a prostituição, entretanto sempre haverão de encontrar ferrenha oposição em nossa Igreja católica, que é sem dúvida a única instituição do planeta, que tem dois mil anos de idade, com cacife suficiente para ser a guardião mor da moral e dos bons costumes. Sem nossa Igreja, o mundo – se ainda existisse – estaria hoje mergulhado na barbárie. Sem a moral, os princípios e o amor da Igreja católica, o mundo seria um palco de ódios. Se ainda existissem homens aqui!
 
20 – Deixar de combater o demônio e o pecado, com todas as suas maléficas consequências. Segundo nossos padres exorcistas e bons teólogos, uma das maiores vitórias de satanás foi fazer crer que ele não existe, e ainda, se existe, que ele é inofensivo e até “bonzinho”. A partir disso, o mundo passou a crer também que não existe mais pecado, porque ele é intrínseco da natureza humana, e impossível de ser vencido. Entretanto, a Santa Igreja jamais defendeu estes princípios nefastos e para ela o pecado, que tem origem no demônio, é a causa de todos os males que afligem a humanidade. Assim o adultério, as relações pré-matrimoniais, o roubo, a mentira, a corrupção, e tudo aquilo que tem raiz nos sete vícios capitais, ou que ofende a qualquer um dos 10 mandamentos da Lei de Deus, ou aos cinco mandamentos da Igreja, tudo isso sempre será combatido por ela, e compete a nós rezar para que assim continue sendo, até que Jesus venha para mudar este estado de coisas.
 
Neste combate final, a verdadeira Igreja deverá condenar, com todas as letras, não somente o capitalismo selvagem, que se locupleta de todas as riquezas em detrimento dos pobres – embora lhes dê certa liberdade – como deve condenar o comunismo, com o mais pérfido, brutal e sanguinário regime que já se implantou nesta terra, sem dúvida aquele causador do maior número de mártires da história. Afinal, estamos em época de limpeza, onde o braço do Eterno, em vias de apontar para a terra e haverá de extinguir todos os governos e regimes, todos os reinos e principados, que se levantaram contra Ele.
 
No mais, a defesa intransigente dos direitos humanos, especialmente os da família cristã e dos seus valores, como célula fundamental da sociedade estará sempre na linha de frente da Igreja. De fato, a família é a base da salvação, e se esta base é sólida também a da Igreja é sólida, e sobre esta mesma base se pode edificar uma sociedade santa, diga e durável. Todos os valores da família, que é unicamente aquela formada por um homem e uma mulher unidos pelo Sacramento do Matrimonio, com seus filhos, esta deve ser preservada e cultivada, como a célula base da civilização. Se este núcleo se desintegra provoca uma reação em cadeia, capaz de explodir a sociedade como uma bomba nuclear.
 
A mídia nojenta, a serviço de satanás defende uma agenda progressista, liberal, antivida, que exige um papa jovial, falastrão e bonito, capaz de cativar o povo com seu sorriso, e assim arrastar multidões. Este na verdade é o perfil que as profecias dão ao anticristo. Mas a realidade é que dentro deste perfil é justamente onde encontramos também a frivolidade, a falta de preparo e até a insensatez e a morte. De fato, não é a idade ou a saúde de um papa, que determinam seu perfeito mandato e domínio sobre a igreja, mas sim a eficiência e a obediência inconteste de seus colaboradores, em todo mundo, a começar pelos diretos, que vivem ao seu Redor.
 
Incomoda a ignorância dos católicos, a começar pelos seus líderes, de aceitar que exista dentro do Vaticano, da parte de alguns de seus luminares, de uma verdadeira seita satânica que luta por destruir a Igreja a partir de seu interior. É isso que os estudiosos afirmam ser a segunda besta do Apocalipse. Certo que a mídia é tendenciosa, mas há também vozes muito esclarecidas que sabem do que falam, e o que estas vozes levantam não é nada santo. No fundo são poucos a atacar diretamente ao Papa, e dentre estes apenas os hereges, porque até seus inimigos hão de concordar que os atos de Bento XVI foram de extrema valentia. De fato, se ele fosse obedecido, teria feito uma limpa na administração central, quem sabe excomungando uma série dos algozes da Igreja.
 
Estes estão felizes com a saída de Bento XVI. Mas as mãos que hoje aplaudem sua saída, num amanhã não muito distante se elevarão aos céus clamando por misericórdia. É hora de limpar a Igreja e o que é podre terá que cair. Inclusive os que aplaudem a saída do Papa. Se eu tivesse que criar um slogan para gritar em coro diante do Santo Padre seria este: Não renuncia! Não renuncia! Não renuncia! Mas tudo tem que se cumprir, e então que se faça a Santíssima Vontade do Pai. Quanto aos jovens espanhóis que desejam aplaudir o Papa por mais de uma hora, como agradecimento, espero que não fiquem apenas nas palmas, mas também nas mãos postas em oração. E em ação. Porque como já falei é da reação da juventude que partirá a centelha que destruirá o império do mal.
 
Enfim, Pedro está quase só! Mas rodeado de potências rebeldes! Tudo isso é necessário para que se cumpra tudo o que está no Plano do Eterno. Fico muito feliz percebendo que pessoas que há algum tempo haviam se afastado agora voltam, e já pedem material, livros lencinhos e o óleo, tão importantes para este tempo. Assim nós poderemos formar um grande grupo de oração, rezando pelas benditas almas do Purgatório, para que remidas e agora no céu, elas possam nos auxiliar nestes dias de grande expectativa.
 
Ainda é tempo, ainda há tempo: se milhões se converterem profundamente, Deus pode mudar o curso de toda a história, resolvendo tudo isso como num passe de mágica. Em busca destas conversões rezemos diariamente o Rosário de Maria. Acreditem, quem não estiver “amarrado” nele, será levado pelas torrentes do mundo.
 
Rosário em Família, Confissão, Santa Missa se possível todos os dias. No mais, nada a temer! (Aarão)
________________
Fonte: “Recados do Aarão” - http://www.recadosaarao.com.br/artigo_ler.asp?id_artigo=4990  22/02/2013.




Artigo Visto: 1653